Busca avançada
Ano de início
Entree

Anisotropia da magnetização remanente anisterética do enxame de diques de Florianópolis - SC

Processo: 20/08040-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2021
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Maria Irene Bartolomeu Raposo
Beneficiário:Carolina de Jesus Rodrigues
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Magnetismo   Tectônica   Suscetibilidade magnética   Enxame de diques   Gondwana   Oceano Atlântico   Florianópolis (SC)

Resumo

Esta pesquisa destina-se a determinar a trama (fabric) dos minerais magnéticos que ocorrem nos diques do enxame de diques de Florianópolis (SC), através da determinação da anisotropia da magnetização remanente anisterética (AARM). O intuito desta pesquisa é verificar se a lineação magnética dada pela AARM é ou não coaxial a lineação dada pela anisotropia de suscetibilidade magnética (AMS). Caso estas lineações não forem coaxiais, a lineação dada pela AARM será comparada aquelas obtidas nos diques do enxame de diques Serra do Mar no litoral Norte do Estado de São Paulo (São Sebastião, Ubatuba e Ilhabela) que possuem a mesma direção estrutural dos diques de Florianópolis. A lineação dada pela AARM nos diques do litoral norte do estado de São Paulo é de origem tectônica e é paralela a direção dos esforços distensivos que provocaram a abertura do Oceano Atlântico. Os resultados desta pesquisa contribuirão para a elaboração de modelos tectônicos responsáveis pela quebra do continente Gondwana. (AU)