Busca avançada
Ano de início
Entree

Diferentes fontes de forragem de clima tropical na dieta de bezerros leiteiros: efeitos no desempenho, metabolismo e comportamento

Processo: 20/12476-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2024
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Carla Maris Machado Bittar
Beneficiário:Ariany Faria de Toledo
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Criação animal   Forragem   Clima tropical   Dieta animal   Silagem   Milho   Bezerros   Metabolismo   Digestibilidade   Trato gastrointestinal

Resumo

Devido aos seus efeitos no processo de desenvolvimento ruminal, o fornecimento de fibra é normalmente baixo nas dietas de bezerros leiteiros. Por este motivo, a exigência em fibra por estes animais não é bem conhecida, havendo grande variação nas recomendações. Por outro lado, o fornecimento de dietas com alto teor de amido e tamanho reduzido de partícula pode resultar em elevada taxa de fermentação e produção de ácidos no rúmen, beneficiando o desenvolvimento ruminal; mas pode reduzir o pH ruminal e, consequentemente, o consumo de matéria seca, o que afeta não só o processo de desenvolvimento, mas também o desempenho dos animais. Nesse sentido, a inclusão de fibra advinda de forragem na dieta de bezerras leiteiras, pode ser fundamental para que os bezerros superarem esse desafio. O objetivo dessa pesquisa é avaliar o melhor nível de inclusão de silagem de milho tipo flint de planta inteira na dieta total de bezerras leiteiras e os efeitos no desempenho e metabolismo. Além disso, elucidar os efeitos de diferentes fontes de forragem de clima tropical na dieta total de bezerras leiteiras sobre o desempenho, metabolismo, digestibilidade, comportamento ingestivo e desenvolvimento do trato gastrointestinal, auxiliando na escolha da melhor fonte de forragem para utilizar-se durante a fase de aleitamento e período de transição. Para este estudo serão realizados dois experimentos. Em ambos experimentos os animais serão separados imediatamente de suas mães ao nascer para garantir adequada colostragem. Os animais serão manejados igualitariamente durante os primeiros 21 dias de vida, recebendo 6 L/dia de leite integral e terão acesso ad libitum à água e concentrado inicial, sem volumoso em ambos os experimentos. Aos 21 dias de vida os animais serão divididos em blocos casualisado, de acordo com sexo, a data de nascimento e peso aos 21 dias, e distribuídos nos diferentes tratamentos. No experimento 1 serão utilizados 45 bezerros da raça holandesa, distribuídos em três tratamentos, cada um com 15 repetições: 1) controle - concentrado farelado com 25 % de FDN, sem volumoso; 2) 15% SM - inclusão de 10 % de silagem de milho na dieta total; 3) 30%SM - inclusão de 30% de silagem de milho na dieta total. O consumo e o escore fecal serão monitorados diariamente. O ganho de peso e os indicadores metabólicos do metabolismo intermediário serão avaliados semanalmente. O líquido ruminal e amostras de fezes serão coletados nas semanas 6, 8 e 10 de vida, para avaliar o perfil fermentativo e o pH, respectivamente. Para o experimento 2 serão utilizados 48 bezerros da raça holandesa, distribuídos em quatro tratamentos, cada um com 12 repetições: 1) controle - concentrado farelado com 25 % de FDN, sem volumoso; 2) SM: concentrado farelado com a inclusão de % de silagem de milho na dieta total, de acordo com o melhor resultado obtido a partir do experimento 1; 3) FAQ: concentrado farelado com a inclusão de 7% de feno de alta qualidade na dieta total; 4) FBQ: concentrado farelado com a inclusão de 7% de feno de baixa qualidade na dieta total. A avaliação do consumo, desempenho, perfil de fermentação e metabolismo intermediários será realizada conforme descrito para o experimento 1. Além disso, amostras fecais para análise de digestibilidade serão coletadas nas semanas 8, 9 e 10 de idade. O comportamento será realizado nas semanas 6, 8 e 10 de vida, totalizando 15 horas de observação. Na décima semana de vida, serão escolhidos aleatoriamente 4 blocos para serem abatidos, os compartimentos serão pesados e diferentes pontos do rúmen serão colhidos para análise morfométrica. Os dados serão analisados através do PROC MIXED do pacote estatístico SAS (version 9.0, SAS Institute Inc., Cary, NC). (AU)