Busca avançada
Ano de início
Entree

Manejo de contingência para o tratamento de dependência de maconha: revisão sistemática e meta-análise

Processo: 20/14540-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Thiago Marques Fidalgo
Beneficiário:Marcelo Gonçalves de Lima
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Medicina baseada em evidências   Transtornos relacionados ao uso de substâncias   Maconha   Planos de contingência   Bases de dados   Descritores   Revisão sistemática   Meta-análise   Estudo clínico

Resumo

A maconha é a substância psicoativa ilícita mais consumida no mundo, com prevalência de uso ao longo da vida de 3,9%. Nos últimos 20 anos, a dependência de maconha se consolidou como a terceira mais comum, em países como Canadá, Estados Unidos e Austrália. Essa posição torna premente o desenvolvimento de tratamentos efetivos para esse quadro. O Manejo de Contingência é uma intervenção psicossocial criada a partir de princípios da terapia cognitivo-comportamental. Baseia-se em princípios operantes básicos, em que os comportamentos positivos são premiados. A literatura aponta que este método tem superioridade em relação a outras psicoterapias, porém sem sistematização dos resultados. Para tanto, objetiva-se a realização de uma revisão sistemática com metanálise de estudos clínicos controlados e randomizados (RCT) para avaliar a eficácia do manejo de contingência no tratamento da dependência de maconha. Será realizada busca nas seguintes bases de dados: MEDLINE, ClinicalTrials.gov, LILACS, OpenGrey, PycINFO e EMBASE. A estratégia de busca utilizará o formato PICO (Pessoa, Intervenção, Controle, Desfecho) e será adaptada de acordo com os operadores boleanos de cada base de dados. A extração dos dados de cada artigo passará por avaliação cega de dois pesquisadores, sendo que as discrepâncias serão resolvidas em consenso. A qualidade de evidência será acessada através do GRADE (Grading of Recommendations, Assessment, Development and Evaluations), o risco de viés será acessado por meio da ferramenta Risk of Bias Assessment da Cochrane Collaboration e a metanálise será realizada no software RevMan 5. Além disso, o projeto foi registrado na plataforma PROSPERO (International Prospective Register of Systematic Reviews).