Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da expressão e valor prognóstico dos genes CXCL9 e CXCL10 em tumores adrenocorticais pediátricos

Processo: 21/00932-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Carlos Alberto Scrideli
Beneficiário:Milena da Silva Ramos
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/20341-0 - Interação entre alvos terapêuticos emergentes e vias de desenvolvimento associadas à tumorigênese: ênfase em neoplasias da criança e do adolescente, AP.TEM
Assunto(s):Pediatria   Carcinoma adrenocortical   Microambiente tumoral   Biomarcadores   Quimiocinas   Prognóstico   Histopatologia   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)

Resumo

Os tumores adrenocorticais (TAC) pediátricos, apesar de raros, são neoplasias com incidência 10-15 vezes maior nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Ao contrário dos casos adultos, a diferenciação entre adenomas e carcinomas baseada em critérios histopatológicos ou a classificação por estadiamento dos TAC pediátricos não conseguem estabelecer correlação prognóstica bem definida ou predizer risco de recaídas, principalmente entre os casos não metastáticos. Atualmente, em projeto temático financiado pela FAPESP "Interação entre alvos terapêuticos emergentes e vias de desenvolvimento associadas à tumorigênese: ênfase em neoplasias da criança e do adolescente (2014/20341-0)", nosso grupo vem trabalhando com sequenciamento de tumores pediátricos, incluindo TAC, a fim de identificar possíveis biomarcadores inéditos de prognóstico e comportamento biológico de TAC. O projeto identificou 1215 genes diferencialmente expressos (DEG) entre tumores de pacientes com boa (n=9) e má evolução clínica (casos metastáticos e/ou recidivados; n=5) em 14 amostras de TAC pediátricos, destacando-se os genes CXCL9 e CXCL10 que codificam as quimiocinas ligantes do receptor CXCR3, CXCL9 e CXCL10, respectivamente. Essas moléculas as medeiam o recrutamento de linfócitos T e células Natural Killer (NK) no microambiente tumoral, sendo ambos observados como menos expressos no grupo de pacientes metastáticos e/ou recidivados. Apesar das altas concentrações dessas quimiocinas no tecido tumoral estarem associadas com maior infiltrado linfocítico e melhor sobrevida de pacientes em diversos tumores, o papel desses genes em TAC ainda é pouco conhecido. Dessa forma, o presente trabalho se propõe a validar e avaliar o perfil de expressão desses 2 genes em um número maior de amostras de TAC de pacientes pediátricos, pela técnica de PCR quantitativa em tempo real (qRT-PCR), assim como investigar a associação entre os níveis de expressão com características clínico-patológicas e desfecho clínico dos pacientes.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)