Busca avançada
Ano de início
Entree

A condição corpórea e as reservas energéticas do sapinho invasor Eleutherodactylus johnstonei durante o período reprodutivo

Processo: 20/08783-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Cinthia Aguirre Brasileiro
Beneficiário:Amanda D'Ambrosio Seabra de Morais
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Ecofisiologia   Fisiologia da reprodução   Anfíbios   Amphibia   Alometria

Resumo

Devido a ectotermia e pele permeável, fatores abióticos, como temperatura e umidade influenciam a fisiologia e reprodução dos anfíbios anuros. Durante o período de condições adversas, os anuros exibem ajustes fisiológicos a fim de garantir a sobrevivência. Na maioria das espécies, tais ajustes conferem um estado hipometabólico aos indivíduos, tornando-os dependentes de estoques endógenos de energia, como lipídios e glicogênio armazenados em órgãos e tecidos. A condição corpórea indica a saúde dos indivíduos, e pode ser medida pela relação alométrica entre massa e tamanho corporal e ou reservas energéticas. Esta condição pode variar de acordo com variáveis ambientais como temperatura e disponibilidade de alimento. Em anuros que passam por um período de dormência, espera-se que os indivíduos apresentem uma melhor condição corpórea no final do período reprodutivo. Além disto, espera-se que os estoques energéticos sejam menores no início do período reprodutivo (pós-dormência) e que este aumente gradativamente durante ao período reprodutivo, de modo que apresente energia suficiente para investir na reprodução e sobreviver no período de inatividade (dormência). Diante disso, o presente estudo tem como objetivo avaliar as reservas energéticas e condição corpórea de machos e fêmeas de Eleutherodactylus johnstonei durante o período reprodutivo. Os indivíduos de E. johnstonei serão coletados entre outubro de 2020 a abril de 2021. A avaliação da variação da condição corpórea ao logo da atividade reprodutiva de E. johnstonei será feita através um índice expresso pela relação entre massa corpórea e comprimento rostro-cloacal de indivíduos e a variação das reservas de gordura por meio da quantidade de lipídios armazenados nos fígados e massa dos corpos gordurosos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: