Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da ingestão proteica na eficácia da suplementação de ômega 3 no ganho de força e massa musculares em adultos saudáveis

Processo: 20/02741-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Vigência (Término): 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Fabiana Braga Benatti
Beneficiário:Heloisa Castanheira Santo André
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Assunto(s):Suplementação alimentar   Ácidos graxos ômega-3   Proteínas musculares   Músculos   Força muscular   Adultos

Resumo

Nos últimos anos, estudos têm demonstrado que a suplementação de ômega 3 (n-3 PUFA) poderia estar associada a taxas aumentadas de síntese de proteínas musculares, podendo contribuir para o maior ganho de massa e força musculares cronicamente. Entretanto, ao contrário de estudos com idosos, os estudos em adultos são contraditórios, e enquanto alguns observam maiores ganhos de massa e força musculares em resposta à suplementação em adultos saudáveis, outros não demonstram esses efeitos. Dessa forma, existe a possibilidade de que, em condições onde a síntese proteica está maximizada (i.e., adultos saudáveis submetidos ao exercício físico e ingestão proteica ótima) não há efeito aditivo da suplementação de n-3 PUFA na hipertrofia muscular. Contudo, não há estudos na literatura que tenham testado a eficácia da suplementação de N-3 PUFA no ganho de força e massa musculares nessas condições. O objetivo desse estudo é avaliar a eficácia da suplementação de n-3 PUFA no ganho de massa e força musculares em adultos saudáveis submetidos ao treinamento de força com diferentes ingestões proteicas. Para tanto, será realizado um estudo clínico, duplo-cego, randomizado, controlado por placebo, com 45 sujeitos, de 18 a 40 anos, do sexo masculino. Os participantes serão divididos em quatro grupos na proporção de 2:1:2:1: Alta ingestão proteica (1.6 g/Kg/d) + Ômega 3 (3g/d); Alta ingestão proteica + placebo (3g/d de óleo de soja); Baixa ingestão proteica (0,8 g/kg/d) + Ômega 3; e Baixa ingestão proteica + placebo. O protocolo terá duração de 12 semanas, durante as quais todos os participantes participarão de treinos de força para membros inferiores (2x/semana). Antes e após o protocolo, os participantes serão avaliados quanto à força máxima (1-RM leg press), composição corporal (DXA) e espessura do músculo vasto lateral (ultrassonografia). Além disso, o consumo alimentar será monitorado a cada quatro semanas através de recordatórios 24h. (AU)