Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do ácido poli(aspártico) na regeneração dentinária em molares de rato

Processo: 20/10208-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2021
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Roberto Ruggiero Braga
Beneficiário:Fernanda Furuse Ventura dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/04737-4 - Remineralização dentinária com o uso de um compósito contendo partículas de ortofosfato de cálcio associado a um precursor mineral em fase líquida (Polymer-Induced Liquid-Precursor, PILP): desenvolvimento de material, estudos in vitro e clínico aleatorizado, AP.TEM
Assunto(s):Biomateriais   Remineralização dentária   Capeamento da polpa dentária   Cimentos dentários   Calcarea silicata

Resumo

Recentemente, foi demonstrado que um análogo de proteína não-colágena foi capaz de guiar a mineralização de um arcabouço colágeno e induzir a diferenciação de células-tronco em osteoblastos, levando à formação de um tecido semelhante ao osso nativo (Thrivikraman et al., Nat Commun 2019). Apesar dos bons resultados alcançados com os cimentos de silicato de cálcio (agregado de trióxido mineral, MTA) e Ca(OH)2 em casos de exposição pulpar, é possível que análogos biomiméticos estimulem a regeneração dentinária através de uma maior diferenciação de células-tronco pulpares em odontoblastos e da mineralização guiada da matriz dentinária, resultando na formação de uma dentina reparativa com características histológicas superiores à encontrada com o uso dos cimentos de Ca(OH)2 e MTA e em menor tempo. O objetivo deste estudo é verificar se o uso de um análogo biomiméticos (ácido poliaspártico, pAsp) associado ao MTA proporcionaria resultados superiores ao capeamento pulpar com MTA apenas. Ratos Wistar (N=40) serão divididos em dois grupos, de acordo com o período pós-operatório (7 e 14 dias). Sob anestesia geral, será realizada a exposição pulpar mecânica da superfície oclusal dos primeiros molares superiores seguido de um dos tratamentos (definido por sorteio, n=10): Grupo CIV (controle negativo) - apenas selamento da cavidade com cimento de ionômero de vidro convencional (CIV); Grupo MTA (controle positivo) - capeamento pulpar com MTA e selamento da cavidade com CIV; Grupo pAsp - aplicação de 20 ¼L de solução contendo pAsp e selamento da cavidade com CIV; Grupo MTA/pAsp - aplicação de pAsp misturado ao MTA (antes da manipulação) na razão de 5:1 (em massa) e selamento da cavidade com CIV. Após a eutanásia e o processamento das hemi-maxilas, os cortes serão submetidos a análises histopatológica (coloração HE) e imunohistoquímica para detecção da sialoproteína dentinária (DSP), nestina, osteopontina (OPN) e proteína da matriz dentinária 1 (DMP1). A forma de análise dos dados (qualitativa ou semi-quantitativa) será definida após estudos preliminares. (AU)