Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de espécies causadoras da Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) por PCR-RFLP e PCR com posterior sequenciamento, tendo como alvo o gene ITS1o como alvo o gene ITS1

Processo: 20/14820-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Lúcia Maria Almeida Braz
Beneficiário:Helen Lucila de Sá Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças negligenciadas   Leishmaniose cutânea   Diagnóstico clínico   Técnicas de diagnóstico molecular   Reação em cadeia por polimerase (PCR)   Análise do polimorfismo de comprimento de fragmentos amplificados

Resumo

A leishmaniose tegumentar americana (LTA) é uma doença infecciosa, crônica, não contagiosa e de manifestação cutânea, causada pelo protozoário do gênero Leishmania, sendo uma zoonose comum ao homem e animais e um grave problema de saúde pública em vários países. O desenvolvimento de protocolos eficientes no diagnóstico da leishmaniose tegumentar é fundamental para o tratamento da doença; neste cenário destaca-se a PCR (reação em cadeira da polimerase) por ser uma técnica simples, com maior especificidade e sensibilidade do que métodos diagnósticos convencionais, podendo ser realizada a partir de qualquer amostra biológica. Objetivo: Comparar as técnicas moleculares por PCR-RFLP tendo como alvos os genes ITS-1 e Hsp70, no diagnóstico por espécie da leishmaniose tegumentar americana (LTA). Metodologia: Amostras procedentes de biópsias de pacientes, com suspeita de LTA, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas e da FIOCRUZ de Pernambuco, terão o DNA extraído submetido à técnica de PCR convencional (tendo como alvo o gene ITS-1), seguida de RFLP e sequenciamento dos amplificados obtidos. Deste modo, será avaliado o diagnóstico da LTA e a capacidade de definição de espécies causadoras da LTA pelas referidas técnicas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: