Busca avançada
Ano de início
Entree

Crosta negra em seringueira: identificação e caracterização de agente causal

Processo: 20/14082-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2021
Vigência (Término): 31 de março de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Ana Carolina Firmino
Beneficiário:Marcela Eloi Gomes
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas. Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Dracena. Dracena , SP, Brasil
Assunto(s):Etiologia   Fitopatologia   Seringueira   Doenças de plantas   Mudança climática   Phyllachorales

Resumo

A seringueira (Hevea brasiliensis Müell. Arg.) é uma espécie oriunda da região amazônica, amplamente cultivada no Brasil. No decorrer destes últimos anos, com as mudanças climáticas somadas a fatores como expansão dos seringais para diferentes localidades com diferentes condições ambientais, a ocorrência de uma doença que sempre foi tratada como secundária, a crosta negra, vem se tornando preocupante devido a queda precoce das folhas de seringueiras Esta doença vem sendo associada aos fungos Phyllachora huberi e Rosenscheldiella heveae, que podem ocorrer de forma isolada em conjunto. Pelo fato desta doença ter sido tratada como de baixa importância em seringais, estudos relacionados a ela são escassos. Desta forma, informações atualizadas que visem determinar quais espécies de Phyllachora e Rosenscheldiella ocorrem e quais prevalecem nas principais regiões produtoras de seringueira e que caracterizem as populações do patógeno são importantes para o país. Assim, este trabalho tem como objetivo identificar e caracterizar espécies de fungos associadas associados à crosta negra da seringueira em diferentes Estados brasileiros. Para isso, serão realizadas análises filogenéticas, utilizando sequências parciais da subunidade parcial rDNA (28S, LSU), região ribossomal rDNA (18S, SSU) e da região do ITS-5.8S rDNA dos isolados coletados. Os isolados também serão caracterizados patogenicamente por meio da inoculação no clone RRIM600. Os resultados obtidos permitirão a melhor compreensão de aspectos etiológicos e epidemiológicos da doença, fornecendo subsídios para o desenvolvimento e a adoção de métodos de controle adequados para esta da seringueira no Brasil. (AU)