Busca avançada
Ano de início
Entree

Desreguladores endócrinos versus receptores hormonais e sobrevivência celular: influência de uma mistura baseada na exposição humana sobre a próstata dorsolateral de ratos Sprague-Dawley

Processo: 21/00075-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Leonardo de Oliveira Mendes
Beneficiário:Maria Luiza Silva Ricardo
Instituição-sede: Faculdade de Artes, Ciências, Letras e Educação de Presidente Prudente (FACLEPP). Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Toxicologia reprodutiva   Morte celular   Proliferação celular   Receptores citoplasmáticos e nucleares   Disruptores endócrinos   Próstata   Histopatologia   Modelos animais de doenças

Resumo

Desreguladores endócrinos (DE) são compostos exógenos dispersos no ambiente e que modificam a biossíntese hormonal, causando diversas consequências para a saúde humana, incluindo doenças crônicas, como o câncer. Na última década, especial atenção foi direcionada para estudos envolvendo tais compostos, porém a maioria das pesquisas não retrata adequadamente a exposição à qual os seres humanos estão submetidos, focando apenas na avaliação dos efeitos de DE isolados ou em pequenos grupos. Além disso, os curtos intervalos de exposição são também um fator limitante, visto que, no caso de processos tumorais, a manifestação da doença pode ocorrer anos após o contato com o seu fator etiológico. Pesquisas que desenvolvam um protocolo experimental que se aproxime da realidade humana são necessárias para uma caracterização fidedigna da exposição ambiental e seus reflexos sobre a saúde/homeostasia. Assim, o objetivo da presente proposta é investigar os aspectos histopatológicos da próstata dorsolateral de ratos expostos durante a gestação, lactação e até a fase adulta à uma mistura de DE baseada na exposição humana, relacionando com a expressão de receptores hormonais e sobrevivência celular. Para alcançar esse objetivo, fêmeas prenhas da linhagem Sprague-Dawley serão divididas em 2 grupos experimentais (controle [veículo] e Mix 100x, diluídas em óleo de milho, por gavagem), e expostas durante a gestação e lactação à uma mistura constituída de 12 compostos que incluem fitalatos, pesticidas, filtros u.v., além de bisfenol A, butilparabeno. Após o desmame, os filhotes machos da geração F1 continuarão a receber a mistura completa de DE até os 180 dias de idade, quando serão eutanasiados. Serão coletados o plasma e fragmentos de tecido prostático para dosagens de testosterona e estradiol. O restante da próstata dorsolateral será destinado às análises histopatológicas, RTqPCR, imunohistoquímica e western blotting. Após as análises propostas será possível avaliar se uma exposição crônica à uma mistura de DE é capaz de desestabilizar a homeostasia prostática.