Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do impacto da estimulação elétrica transcutânea parassacral na fase inicial do tratamento da constipação intestinal funcional refratária em crianças e adolescentes

Processo: 20/16302-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2021
Vigência (Término): 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Pedro Luiz Toledo de Arruda Lourencao
Beneficiário:Stefani Rabelo Vieira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia pediátrica   Terapia por estimulação elétrica   Constipação intestinal   Crianças

Resumo

Introdução: A estimulação elétrica transcutânea parassacral (EETP) através de eletrodos colocados sobre o sacro pode ativar conexões neuronais aferentes, de maneira não invasiva, levando à reflexos sacrais que podem melhorar a motilidade do cólon. Portanto, a EETP pode ser considerada um método promissor, seguro e não invasivo para o tratamento da constipação. Entretanto, não há estudo publicado que investigue seu uso em crianças com constipação funcional. Este é um estudo unicêntrico, prospectivo, longitudinal e intervencional projetado para avaliar a aplicabilidade e os resultados clínicos da EETP em crianças com constipação funcional. Preocupações dos pacientes: Os pais ou responsáveis dos pacientes serão informados sobre o propósito do estudo e deverão assinar um termo de consentimento. Os pacientes podem abandonar o estudo a qualquer momento sem nenhuma restrição. Diagnóstico: 28 crianças ( de 7 a 18 anos de idade) que foram diagnosticadas com constipação intestinal segundo os critérios de Roma IV serão incluídas no estudo. Intervenções: Os pacientes serão submetidos a sessões diárias de EETP por um período de 4 ou 8 semanas e serão convidados para participar de entrevistas semiestruturadas em 3 ou 4 momentos: uma semana antes do início da eletroestimulação; imediatamente após as 4 e/ou 8 semanas de EETP; e 4 semanas após o fim do período de intervenção. Nessas consultas, serão avaliados os aspectos relacionados com hábitos intestinais e qualidade de vida. Resultados: O presente estudo avaliará o aumento no número de evacuações e a consistência das fezes, a redução do número de episódios de incontinência fecal retentiva, e a melhora indireta na qualidade de vida geral. Conclusão: Nós esperamos que este protocolo de estudo possa mostrar a eficácia desse método promissor para auxiliar no tratamento de crianças com constipação funcional.