Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização e avaliação do potencial de sCD163 como biomarcador de gravidade na infecção por SARS-CoV-2

Processo: 20/13120-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2021
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Larissa Dias da Cunha
Beneficiário:Marlon Fortes Rocha
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/25559-4 - Mecanismos moleculares de fagocitose associada a LC3 e seu papel na regulação da função de macrófagos, AP.JP
Assunto(s):SARS-CoV-2   COVID-19   Síndrome de ativação macrofágica   Biomarcadores   Inflamação   Monócitos   Prognóstico   Imunidade inata

Resumo

Pacientes infectados por SARS-CoV-2 que evoluem para um quadro crítico de COVID-19 desenvolvem sintomas similares à síndrome de ativação macrofágica (MAS): hipercitocinemia, aumento de marcadores de lesão tecidual e de LDH - podendo progredir à disfunção de múltiplos órgãos. Os trabalhos recentes que descrevem a imunopatologia de COVID-19 apontam para um quadro disfuncional do sistema imune: os pacientes apresentam leucopenia aguda, com linfopenia de linfócitos T e neutrofilia associada a presença de neutrófilos imaturos. Em relação ao sistema monofagocitário, a ativação excessiva de monócitos/macrófagos pode contribuir para a morbidade e mortalidade dos pacientes. A análise dos monócitos de pacientes com COVID-19 da nossa coorte aponta para um quadro disfuncional dessas células com redução dos monócitos com perfil resolutivo, aumento dos monócitos inflamatórios e redução dos níveis de HLA-DR na superfície celular. Além disso, observamos um aumento dos níveis de CD163 na membrana diretamente correlacionado com aumento do LDH sérico. CD163 é um marcador exclusivo de macrófagos e monócitos e sua alta expressão está associada à MAS. Sua forma solúvel (sCD163) tem sido descrita como biomarcador de gravidade para essa síndrome em diversos contextos de inflamação crônica. A hipótese desse trabalho é que sCD163 possa atuar como biomarcador prognóstico de evolução imunopatológica da COVID-19 associada a ativação exacerbada de monócitos e macrófagos em pacientes acometidos pela forma grave da doença. Nesse sentido, propomos investigar o potencial de sCD163 como biomarcador de prognóstico grave de indivíduos infectados por SARS-CoV-2. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)