Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de nanocarreadores híbridos (AgNPs biogênico/micelar) visando combate a bactérias

Processo: 21/00998-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2021
Vigência (Término): 30 de abril de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Renata de Lima
Beneficiário:Vitória Aparecida Nobrega Antunes
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Inovação. Universidade de Sorocaba (UNISO). Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Nanotecnologia   Coronavirus da síndrome respiratória aguda grave 2   Farmacorresistência bacteriana   Sobrevivência celular   Espalhamento de radiação   Nanocarreadores   Penicillium   Físico-química   Genotoxicidade   Citotoxicidade

Resumo

No último ano (2020) o mundo voltou sua atenção ao novo vírus SARS-CoV2, uma vez que, a pandemia trouxe à tona problemas de Saúde Pública que já haviam sido levantados ao longo dos últimos anos. Da mesma forma a preocupação frequente com a resistência bacteriana tem sido relatada por muitos profissionais que se deparam com pacientes com infecções refratárias aos tratamentos farmacológicos convencionais. Desta maneira, novas tecnologias foram apresentadas na tentativa de amenizar os problemas relatados nos últimos tempos. Assim como, evoluímos em relação a tecnologias que envolvem diagnósticos, genômica e tratamentos, observamos, em paralelo, a evolução dos microrganismos que parecem desafiar os homens em relação a sua capacidade de resolver problemas. Entre as diferentes tecnologias, a nanotecnologia tem mostrado bons resultados no combate de microrganismos. Entre estas, as nanopartículas biogênicas metálicas, especialmente as nanopartículas de prata tem destaque, pois seus resultados têm mostrado excelente atividade antimicrobiana e baixa toxicidade. Desta forma, este projeto tem o objetivo de realizar a síntese biogênica de nanopartículas de prata (AgNPs) utilizando metabólitos do fungo Penicillium chrysogenum como agente redutor e estabilizante, seguido da sua caracterização físico-química, avaliação da cito e genotoxicidade, assim como, sua atividade bactericida. Visando praticidade de utilização como soluções para aplicações naso-faríngea e intravenosa, as nanopartículas serão incorporadas em solução micelar e sua atividade antimicrobiana, assim como, a toxicidade serão avaliadas. Para a síntese das nanopartículas serão utilizados metabólitos do fungo acrescidos de nitrato de prata (AgNO3) como agente precursor. A caracterização físico-química das nanopartículas e solução micelar será realizada utilizando técnicas de espalhamento dinâmico de luz (DLS) e por rastreamento de nanopartículas (NTA), a avaliação da viabilidade celular será realizada utilizando 3-(4,5-dimetiltiazol-2-il)-5-(3-carboximetoxifenil)-2-(4-sulfofenil)-2H-tetrazólio (MTS) e Azul de Tripan. Para avaliação da genotoxicidade será utilizado análises cometa, utilizando linhagens celulares. A avaliação da atividade antibacteriana será realizada utilizando os testes de disco-difusão em ágar, Concentração Inibitória Mínima (MIC), Concentração Bactericida Mínima (CBM) e cinética de crescimento bacteriano. Como resultados espera-se obter nanopartículas, isoladas ou incorporadas nos sistemas micelares, com amplo potencial antimicrobiano e baixa toxicidade, possibilitando o desenvolvimento de um novo produto que possa ser utilizado para combate a bactérias com ação localizada em nariz e garganta, assim como para ação sistêmica no combate a resistência bacteriana.