Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação entre acompanhante na sala de parto e indicadores precoces de aleitamento materno em coorte de gestantes e lactentes

Processo: 20/13276-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Caroline de Barros Gomes
Beneficiário:Larissa Ramos Araujo
Instituição-sede: Faculdade do Sudoeste Paulista (FSP). Instituição Chaddad de Ensino (ICE). Avaré , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição da mãe   Aleitamento materno   Recém-nascido   Registros eletrônicos de saúde   Análise transversal   Estudos de coortes

Resumo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) recomendam que o aleitamento materno seja iniciado na primeira hora de vida, seja exclusivo até o seis meses de idade e complementar até os dois anos de idade. Esta prática gera benefícios sob a saúde materno-infantil, economia e meio ambiente. Apesar disso, pesquisas internacionais e nacionais que analisaram os índices de amamentação ao longo dos anos, ressaltam a necessidade de implementação de novas estratégias, políticas e programas para melhoria dos indicadores de aleitamento materno. O reforço do apoio social é uma das principais estratégias identificadas pela OMS e UNICEF para aumentar as taxas de amamentação. Este deve ser oferecido por qualquer membro da rede social da mulher durante o pré-natal, parto e pós-natal. A presença de acompanhante na sala de parto é uma forma de apoio social e pode estar associada aos indicadores precoces de aleitamento materno. Entretanto, a literatura a respeito desse tema é escassa, sendo relevante investigá-lo. Objetivo: Estudar a associação entre acompanhante na sala de parto e indicadores precoces de aleitamento materno em coorte de gestantes e lactentes. Métodos: Trata-se de uma análise transversal de dados provenientes de um estudo de coorte de gestantes assistidas na rede de atenção primária à saúde. Estas foram acompanhadas até o parto e a primeira consulta de puericultura do recém-nascido durante o período de maio de 2018 a junho de 2019. Utilizar-se-ão dados coletados do prontuário da maternidade e da unidade de saúde, onde a gestante da coorte, já mãe, compareceu com seu lactente para a primeira consulta de puericultura e realização dos exames de triagem neonatal. Será investigada a presença ou não de acompanhante na sala de parto e associação com os desfechos investigados em relação ao aleitamento materno (aleitamento materno na primeira hora de vida; contato pele a pele logo após o parto; aleitamento materno exclusivo na saída da maternidade; ingestão de outro leite, sem ser o leite do peito na saída da maternidade; aleitamento materno exclusivo na primeira consulta de puericultura; ingestão de outro leite, sem ser o leite do peito na primeira consulta de puericultura). A investigação da associação entre a presença de companhia e os desfechos investigados será realizada por análises de regressão univariadas e multivariadas, sendo todo o plano de análises elaborado com auxílio de escritório de apoio à pesquisa da Universidade.