Busca avançada
Ano de início
Entree

PREVALÊNCIA, VARIAÇÃO SAZONAL DA ELIMINAÇÃO DE OOCISTOS E CARACTERIZAÇÃO MOLECULAR DE Cryptosporidium spp. EM AMOSTRAS FECAIS DE CAPIVARAS (Hydrochoerus hydrochaeris) EM ÁREAS URBANAS

Processo: 21/01231-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2021
Vigência (Término): 30 de abril de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Marcelo Vasconcelos Meireles
Beneficiário:Fabio Eiji Fukumori
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Cryptosporidium   Epidemiologia   Protozoa   Roedores

Resumo

Cryptosporidium é considerado um patógeno emergente. A eliminação de oocistos esporulados em fezes do hospedeiro infectado é responsável pela contaminação ambiental e transmissão da doença. O hospedeiro susceptível se infecta ao ingerir oocistos presentes em água de consumo ou recreação ou em alimentos. Em seres humanos, é mais comum a infecção por Cryptosporidium hominis ou Cryptosporidium parvum. Entretanto, por meio da utilização de métodos da biologia molecular a presença de diversas espécies e genótipos de animais domésticos e selvagens tem sido relatada em seres humanos. Por isso, há uma crescente preocupação quanto à relação dos animais atuarem como reservatórios e representar fontes de infecção desse parasito para o homem. Algumas áreas antrópicas, como parques e praças que possuem lagos naturais ou artificiais, abrigam uma considerável densidade e biomassa de capivaras. Em amostras fecais de capivaras em cativeiro, foram encontradas algumas espécies de protozoários, como Giardia sp., Cryptosporidium sp. e Eimeira sp., sendo que, dentre esses protozoários, a infecção por Cryptosporidium sp. foi a mais acentuada. No único trabalho em que foi determinada a espécie de Cryptosporidium presente em capivaras de vida livre, há o relato da presença de um subtipo zoonótico (IIaA15G2R1) de C. parvum, comumente encontrado em bovinos. Dessa forma, fica evidente que capivaras representam uma potencial fonte de infecção para o homem; no entanto, ainda não há uma definição da prevalência da infecção por Cryptosporidium em capivaras presentes em áreas urbanas e de quais espécies do parasito infectam esses animais. Tendo em vista a falta de estudos sobre a ocorrência e a caracterização molecular de espécies e genótipos de Cryptosporidium que infectam capivaras e o potencial desses animais como reservatórios de um protozoário de elevado potencial zoonótico, o presente projeto tem como objetivo determinar a prevalência, realizar a caracterização molecular e quantificar a eliminação sazonal de oocistos de Cryptosporidium spp. no ambiente, em populações de capivaras presentes em áreas urbanas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: