Busca avançada
Ano de início
Entree

Microplásticos e contaminantes emergentes em águas superficiais: usos das bacias hidrográficas e os impactos ao ambiente

Processo: 20/14988-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2021
Vigência (Término): 31 de maio de 2023
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Cassiana Carolina Montagner
Beneficiário:Vinicius Sarracini Santos
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50951-4 - INCT 2014: Tecnologias Analíticas Avançadas, AP.TEM
Assunto(s):Ecotoxicologia   Espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier   Polímeros   Resíduos plásticos   Microplásticos   Contaminantes emergentes   Impactos ambientais

Resumo

Os microplásticos são partículas sólidas de polímeros com tamanho < 5mm, podendo ser classificados como microplásticos primários ou secundários. Estas partículas estão presentes em diversos compartimentos ambientais e possuem vários efeitos aos organismos que vivem nestes meios, como no desempenho reprodutivo, no metabolismo energético e na fisiologia do fígado da biota em diferentes níveis tróficos. Os contaminantes emergentes são substâncias de origem antrópica ou natural, detectados em todas as matrizes ambientais e que não são comumente monitorados. A presença destes contaminantes no ambiente pode causar efeitos adversos no ser humano e na biota devido à exposição crônica às concentrações residuais dos compostos ou mistura deles, havendo estudos que reportam a capacidade de causar alterações no sistema endócrino, efeitos fisiológicos anormais e comprometimento reprodutivo, aumento da incidência de câncer, entre outros. O desenvolvimento de novas técnicas analíticas fez com que os microplásticos e contaminantes emergentes tomassem maior evidência no meio científico ao longo dos últimos anos e pudesse ser estudado com maiores detalhes, facilitando o entendimento desta, que é considerada uma dinâmica ambiental bastante complexa de ser elucidada. No Brasil, há estudos sobre contaminantes emergentes em algumas regiões do país, com ênfase na região sul e sudeste, porém as pesquisas referentes à ocorrência de microplásticos em corpos de água doce ainda são escassas. Com isso, estudos relacionados à presença, caracterização e quantificação destes contaminantes que possam ser associados aos usos das bacias hidrográficas são necessários, a fim de traçar os reais impactos antropogênicos em regiões específicas, consideradas críticas do ponto de vista ambiental, por exemplo, aquelas com alta demanda hídrica e que enfrentam problemas sérios de escassez em alguns períodos do ano. A bacia do Rio Atibaia está compreendida em uma área industrial e densamente urbanizada, enquanto que a bacia do Turvo/Grande compreende uma região predominantemente agrícola. Visto estes diferentes usos das bacias, essas regiões foram escolhidas como estratégicas para traçar um estudo de caso sobre a ocorrência de microplásticos e contaminantes emergentes considerados relevantes para o Estado de São Paulo, a fim de explorar juntamente com os parâmetros físico-químicos comumente monitorados, trazendo um olhar inovador para a gestão da qualidade dos recursos hídricos no estado. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)