Busca avançada
Ano de início
Entree

Projeto MAYA: tecnologias inovadoras e disruptivas para prescrever, incentivar e avaliar a prática de atividade física

Processo: 21/03500-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2021
Vigência (Término): 31 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Ciência da Computação - Sistemas de Computação
Convênio/Acordo: MCTI/MC
Pesquisador responsável:Pedro Dal Lago
Beneficiário:Ruvian de Césaro
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Ministério da Educação (Brasil). Porto Alegre , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:20/05155-6 - Projeto Maya: tecnologias inovadoras e disruptivas para prescrever, incentivar e avaliar a prática de atividade física, AP.R
Assunto(s):Atividade física   Exercício físico   Ludificação   Qualidade de vida   Internet das coisas   Redes de sensores

Resumo

A qualidade de vida e reduz radicalmente os índices de mortalidade. Neste sentido, o desenvolvimento de estratégias para aumentar a aderência e, consequentemente, o tempo de atividade física da população como um todo torna-se uma meta fundamental para a saúde da população. Diversos avanços tecnológicos recentes como a Internet das Coisa e redes de sensores, podem prover uma melhoria no monitoramento e prescrição de atividade física. Tais avanços podem ser integrados a fim de prover biofeedbacks sobre as atividades físicas prescritas, os quais podem ser acessados através de smartphones. O objetivo geral do projeto MAYA é desenvolver e implementar tecnologias inovadoras, disruptivas e seguras para aumentar a adesão de atividades físicas prescritas e monitorar a resposta de variáveis fisiológicas, durante as atividades físicas para prevenção e reabilitação de doenças cardiovasculares. O projeto MAYA propõe superar este desafio através de três abordagens integradas: (I) o uso de aplicações com um sistema de gamificação para aumentar a adesão dos usuários; (II) a utilização de um sistema de biofeedback para o monitoramento das atividades físicas prescritas; e (III) implantar e testar um sistema protótipo na UFCSPA.