Busca avançada
Ano de início
Entree

Meio de cultura condicionado desenvolvido a partir de células tronco humanas

Processo: 21/00585-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2021
Vigência (Término): 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Bioengenharia
Pesquisador responsável:Elenice Deffune
Beneficiário:Giullia Cavicchioli Barbosa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Bioenergia   Cultura de células   Células-tronco mesenquimais   Linhagem celular   Fatores de crescimento   Terapia baseada em transplante de células e tecidos   Microscopia eletrônica de transmissão

Resumo

O cultivo celular voltado para o desenvolvimento de medicamentos e terapias pode ser feito em diferentes meios de cultura, como o serum free MesencultÔ e aqueles aditivados com Soro Fetal Bovino. Emerge neste conceito o Meio de Cultura Condicionado obtido da cultura de células tronco mesenquimais, que se mostra uma boa alternativa considerando que o transplante de células ali cultivado pode se beneficiar da resposta local do tecido às moléculas secretadas, evitando assim complicações provindas de enxerto ou transplante celular. Esse meio portanto é produzido a partir de Células Tronco Mesenquimais (MSCs) obtidas de diferentes fontes como Sangue de Cordão Umbilical humano, que muitas vezes é descartado após o nascimento; células as quais são caracterizadas por sua capacidade de auto renovação, proliferação e diferenciação em diferentes linhagens celulares (multipotencialidade), o que possui grande importância no mundo científico, visando seu efeito regenerativo e secreção de fatores responsáveis pela comunicação e sinalização intercelular. Ao analisar esses fatores secretados, são encontradas as Vesículas Extracelulares (VEs), que são partículas nanométricas transportadoras de componentes citoplasmáticos (microRNAs, RNAs mensageiros, citocinas entre outros) futuramente liberados no ambiente intercelular e responsáveis pela regulação de diferentes processos fisiológicos, como a proliferação celular, diferenciação e migração. VEs possuem difícil caracterização, no entanto são diferenciadas de acordo com seu tamanho, marcadores de superfície e origem, o que as coloca em três subcategorias: exossomos, microvesículas e partículas apoptóticas. O estudo sobre a relação entre MSCs e VEs tem por objetivo mostrar a importância ao considerar o potencial terapêutico e de ferramenta medicinal, dessa forma, a caracterização de VEs secretadas por MSC, produção de um meio condicionado a partir dessa linhagem celular e também realizar comparações entre VEs obtidas nos três meios de cultivo (alimentados por Soro Fetal Bovino, fatores secretado pelas MSCs e o meio MesenCultÔ) irá auxiliar o entendimento, classificação e identificação de tais VEs bem como poderá comprovar a eficiência do dos fatores parácrinos advindos de MSCs no âmbito da terapia celular, considerando ainda a maior precisão e compatibilidade às células humanas. Nesse projeto, serão usadas as técnicas de descongelamento de células criopreservadas, aplicação dos três diferentes condicionamentos e caracterização por Microscopia Eletrônica de Transmissão de VEs, determinação de concentração e tamanho utilizando equipamento NanoSightÔ, o qual realizará a análise e rastreamento de tais partículas.