Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil de genótipos do complexo de espécies Fusarium graminearum em grãos de cevada por PCR quantitativo

Processo: 21/04730-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Liliana de Oliveira Rocha
Beneficiário:Letícia Aliberti Galego Alves da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/04811-4 - Estrutura populacional do complexo de espécies Fusarium graminearum e perfil da contaminação por micotoxinas em cevada cultivada e selvagem do Brasil, AP.JP
Assunto(s):Microbiologia   Micotoxinas   Fusarium   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)

Resumo

A presença de micotoxinas em cereais e outros alimentos geram perdas substanciais à economia. O complexo de espécies Fusarium graminearum (CEFG) é considerado o principal responsável pela giberela em cereais de inverno, sendo capaz de produzir consistentemente tricotecenos do tipo B e zearalenona, importantes toxinas sob o ponto de vista econômico, saúde humana e animal e agricultura. O CEFG está dividido em 16 espécies filogenéticas, que apresentam estrutura filogeográfica; estas também podem ser subdivididas conforme o perfil de produção de tricotecenos do tipo B e que está diretamente relacionado ao genótipo expresso pelas cepas fúngicas, a saber: DON (desoxinivalenol) ou NIV (nivalenol) e genótipos 3-acetil e 15-acetil desoxinivalenol, que são os intermediários de DON. Desta forma, o perfil dos genótipos no cereal indica o potencial de contaminação pelas micotoxinas mencionadas e, pela técnica de PCR quantitativo, pode-se determinar o quanto os genes envolvidos na produção desses metabólitos estão presentes nas amostras. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é quantificar os potenciais genótipos de tricotecenos do tipo B produzidos pelo CEFG em grãos de cevada e correlacionar com a contaminação de DON e NIV previamente quantificados durante o desenvolvimento do projeto. (AU)