Busca avançada
Ano de início
Entree

Toxicidade do material particulado por meio da avaliação do potencial oxidativo e de seu efeito no envelhecimento renal prematuro na Região Metropolitana de São Paulo

Processo: 20/07674-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2021
Vigência (Término): 30 de junho de 2024
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Andrade
Beneficiário:Caroline Fernanda Hei Wikuats
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/18438-0 - Área Metropolitana de São Paulo: abordagem integrada mudanças climáticas e qualidade do ar, METROCLIMA MASP, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Biometeorologia   Poluição do ar   Estresse oxidativo   Toxicidade   Material particulado   Envelhecimento   Rim   Propriedades físico-químicas   Fuligem   Região metropolitana   São Paulo (SP)

Resumo

A composição química, o tamanho e as fontes de emissão do Material Particulado atmosférico (MP) são características diretamente relacionadas à indução de respostas tóxicas à saúde, como o estresse oxidativo que é mensurado pelo Potencial Oxidativo (PO), isto é, uma medida pertinente às respostas biológicas causadas pela exposição ao MP. Além disso, a exposição ao MP pode levar ao desenvolvimento de problemas em vários órgãos, em especial o envelhecimento prematuro dos rins. Assim, este trabalho tem como objetivo geral determinar o potencial oxidativo e toxicológico do material particulado inalável fino (MP2,5) relacionando com suas características físico-químicas e fontes de emissão na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). Há vários estudos sobre a composição físico-química e das fontes do MP em São Paulo, mas ainda não foi estudado o seu potencial oxidativo e, em particular, o impacto nos rins. As amostras de MP2,5 serão coletadas em fluidos corporais e nos rins de camundongos a partir de um estudo in vivo para determinação do seu impacto nesses animais e também no ar ambiente e serão analisadas para a determinação da sua concentração em massa, distribuição de tamanho para massa e número, concentração de Black Carbon (BC), composição elementar, orgânica e iônica, e potencial oxidativo. Modelos receptores e metodologias estatísticas de análise de retrotrajetórias serão utilizados para identificar as fontes de emissão e a contribuição local e de longa distância, respectivamente, a partir de medidas realizadas em diferentes locais da RMSP. Assim, pretende-se avaliar os efeitos toxicológicos do MP na região e auxiliar no planejamento de políticas de controle e minimização da poluição do ar a fim de reduzir os riscos à saúde. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)