Busca avançada
Ano de início
Entree

Viabilidade populacional de Sapajus nigritus (Primata, Cebidae) e Alouatta caraya (Primata, Atelidae) em cenários de crescimento urbano

Processo: 20/09317-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2021
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Pesquisador responsável:Adriano Garcia Chiarello
Beneficiário:Pollyana Veronica Wenzel Sanches
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Política ambiental   Primatas   Urbanização   Migração rural   Crescimento populacional   Expansão urbana   Ação antrópica negativa   Desenvolvimento sustentável

Resumo

Nas últimas décadas observou-se grande deslocamento de populações humanas rurais para os centros urbanos e estima-se que até 2050 a população urbana mundial seja maior que 6,3 milhões de pessoas. Este crescimento, particularmente nas regiões tropicais, geralmente ocorre com precário planejamento, limitando a proteção da biodiversidade e dos recursos ecossistêmicos. A decorrente expansão urbana acarreta perda de cobertura florestal e aumento dos impactos antrópicos sobre as áreas protegidas localizadas nestas zonas de expansão. Acordos mundiais, como a Agenda 2030 da ONU, estimulam o crescimento urbano sustentável para mitigar tais impactos. Neste sentido, o Brasil possui o Código Florestal e o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) que regram o crescimento urbano quando este interfere com remanescentes de vegetação nativa. Protegida pelo SNUC, a Estação Ecológica de Ribeirão Preto (EERP), está localizada em um dos principais centros econômicos do interior paulista, sofrendo pressões do acelerado crescimento urbano e da paisagem agrícola dominada pela monocultura de cana-de-açúcar. Ainda assim, a EERP abriga espécies ameaçadas e que desempenham importantes serviços ecossistêmicos, como o macaco prego, Sapajus nigritus, e o bugio preto, Alouatta caraya. Objetivamos avaliar cenários preditivos de viabilidade destas populações, criados a partir de informações demográficas e populacionais disponíveis na literatura, bem como o crescimento urbano esperado para a região. Através de simulações no programa VORTEX, avaliaremos cenários com alternativas de mitigação dos impactos resultantes do isolamento e do pequeno tamanho populacional. Os resultados são importantes para a conservação regional destas espécies e trarão subsídios para a gestão desta Unidade de Conservação. Dentre as implicações esperadas, destacamos a avaliação dos benefícios decorrentes da restauração das APPs localizadas na zona de amortecimento da EERP, que poderão ampliar a quantidade de habitat disponível para os primatas e diminuir o isolamento destas populações. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)