Busca avançada
Ano de início
Entree

História e alienação: perfil dos internamentos de mulheres na Fundação Espírita Allan Kardec (1922-1960)

Processo: 20/14453-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Márcia Pereira da Silva
Beneficiário:Igor Alexandre Souza Ferrari de Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Hospitais psiquiátricos   Hospitalização   Alienação social   Espiritismo   Mulheres

Resumo

Foi na passagem do século XVIII para o século XIX que a ciência médica da psiquiatria começou a fazer incursões mais diretas sobre os corpos e as mentes dos indivíduos. Através de alguns tratamentos, por vezes dolorosos e questionáveis, que perduraram até meados do século XX, esta ciência se institucionalizou por meio da criação de espaços específicos onde pessoas consideradas doentes mentais eram colocadas, submetidas a um processo de disciplinarização e, em alguns casos, de acordo com os médicos do período, curadas. O presente projeto de pesquisa toma como objeto de análise uma instituição deste tipo - o Hospital Psiquiátrico Allan Kardec - que recebeu, a partir de sua fundação no ano de 1922, uma grande quantidade de pessoas que ali passaram por tempo e motivo variados. Esta instituição está localizada no município de Franca e foi fundada a partir da ação articulada de um grupo de espíritas que habitavam a localidade. Esta característica notavelmente singular influenciou nos caminhos adotados pela instituição ao longo do século XX. Nosso estudo será pautado na análise dos chamados Livros de Entrada e pela busca de informações acerca dos fatores constitutivos da internação de mulheres para o período. Com isso, nossa pretensão é a de construir o perfil de internamento de mulheres no Hospital até o ano de 1960. Sobre o assunto, a historiografia já identificou gravidez fora do casamento, não subserviência a pais, irmãos e maridos, além de relacionamentos afetivos não convencionais, como motivos para mulheres serem consideradas loucas e candidatas à alienação social. Por isso, nosso objetivo é o de, a partir das concepções da História de Gênero, compreender qual foi o perfil de internamento de mulheres no período para o município de Franca e região.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)