Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de nanopartículas luminescentes de fosfato de cálcio amorfo para aplicação em Nanomedicina

Processo: 21/03559-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2021
Vigência (Término): 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Valtencir Zucolotto
Beneficiário:Carlos Eduardo Zanardo
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50947-7 - INCT 2014: em Células Tronco e Terapia Celular no Câncer, AP.TEM
Assunto(s):Nanomedicina   Nanopartículas   Fosfatos de cálcio   Imageamento por fluorescência   Defeitos   Biomateriais   Propriedades estruturais   Fotoluminescência

Resumo

Os fosfatos de cálcio (CaPs) são biomateriais com elevada biocompatibilidade, sendo considerados ideais para o tratamento de ossos e dentes e na engenharia tecidual. Na forma de nanopartículas (NPs), os CaPs vêm atraindo atenção na Nanomedicina, destacando-se a utilização da hidroxiapatita (HA) em medicina diagnóstica via imageamento por fluorescência - uma opção de baixo custo e não invasiva de diagnóstico. Os métodos conhecidos para otimizar as propriedades fotoluminescentes dos CaPs para estes fins estão baseados em combiná-los com fluoróforos orgânicos, via dopagem com íons lantanídeos ou pela fabricação de compósitos com outros nanomateriais inorgânicos, incluindo os pontos quânticos de calcogenetos metálicos. Por outro lado, a manipulação de defeitos e impurezas nos CaPs consiste em uma alternativa inovadora ainda pouco explorada com potencial na obtenção de sistemas com elevada biocompatibilidade, menores custos, preparações mais simples e com superiores propriedades fotoluminescentes. Neste sentido, o presente projeto visa a obtenção de NPs de fosfato de cálcio amorfo (ACP) por precipitação química e com fotoluminescência otimizada ao incorporar impurezas de carbono na forma de íons carbonato (CO32-) e modificá-las com posteriores tratamentos térmicos. Assim como a HA, o ACP consiste em um material com potencial aplicação em Nanomedicina, porém de mais simples e rápida preparação. Entretanto, a otimização de suas propriedades fotoluminescentes ainda é um desafio na área. As NPs serão caracterizadas quanto às suas propriedades estruturais, composicionais, morfológicas e ópticas. O presente projeto está inserido em uma área de fronteira da Nanomedicina com potencial em contribuir no avanço de técnicas de diagnóstico por imagem de distintas enfermidades, como o câncer. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)