Busca avançada
Ano de início
Entree

Implicações ecológicas, evolutivas e de conservação da agressividade e territorialidade em linhagens selecionadas de hilídeos neotropicais

Processo: 20/10189-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Marcio Roberto Costa Martins
Beneficiário:Ricardo Luría Manzano
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Agressividade   Demografia   Ecologia animal

Resumo

A agressividade é um atributo frequente em anuros e pode ser exibida em um sistema escalonado, desde a sinalização acústica até o combate físico. Os comportamentos agressivos associados à defesa de um território contendo um recurso limitado caracterizam a territorialidade. Como agressão/ territorialidade são principalmente restritas a machos em anuros, acredita-se que seja dirigida pela seleção sexual, e que mostre altos níveis de divergência e estimule a diversificação de linhagens. Os encontros agonísticos envolvendo combates acústicos e físicos têm potenciais conseqüências negativas, como alto gasto de energia e lesões, o que pode resultar em um "trade-off" entre a intensidade dos encontros agonísticos e características demográficas e, finalmente, o tamanho do corpo. Por outro lado, como indivíduos maiores têm uma vantagem durante esses combates, a expectativa inversa poderia existir. Dada essa relação potencial entre agressividade/territorialidade e características demográficas, bem como o papel que elas desempenham na regulação populacional, deve-se esperar que a agressividade/territorialidade afete a vulnerabilidade à extinção. Este projeto tem três objetivos: (1) Explorar como os caracteres de agressividade/territorialidade evoluíram na família de anuros Hylidae, o papel dos fatores nesse processo e como esse comportamentos afetam a diversificação de linhagens; (2) avaliar se os caracteres de agressividade/territorialidade estão relacionados a características demográficas nos níveis intraespecífico (espécies selecionadas do gênero Boana) e interespecífico (gênero Boana); e (3) explorar os possíveis efeitos da agressividade/territorialidade na vulnerabilidade à extinção na família Hylidae. Obteremos variáveis abióticas, bióticas e de agressividade/territorialidade, bem como a categoria de estado de conservação, para uma amostra de espécies de hilídeos, a partir de mapas de distribuição e da literatura. Além disso, mediremos a agressividade/territorialidade e as características demográficas em grandes amostras de quatro espécies de Boana por meio de trabalho de campo, e mediremos as mesmas variáveis em amostras menores de pelo menos 24 espécies desse gênero, através de visitas a coleções científicas. Vamos estimar estados ancestrais, taxas de evolução, sinal filogenético e relações evolutivas entre as diferentes características (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)