Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do tratamento trombolítico nas alterações microcirculatorias desencadeadas pela morte encefálica

Processo: 21/02583-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2021
Vigência (Término): 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Luiz Felipe Pinho Moreira
Beneficiário:Caio Medeiros Fernandes
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Inflamação   Mesentério   Microcirculação   Morte encefálica   Transplantes   Tratamento   Procedimentos cirúrgicos cardiovasculares

Resumo

Com o avanço dos conhecimentos cirúrgicos, o transplante de órgãos tornou-se uma possibilidade de tratamento para pacientes com doenças em estágios finais. No entanto, a escassez de órgãos disponíveis ainda se configura como uma barreira para a realização de tais procedimentos. A maioria dos órgãos utilizados em transplantes são provenientes de morte encefálica (ME) que, de acordo com evidências clínicas e experimentais, desempenha um impacto considerável na viabilidade do órgão, sendo importante considerar o estado do doador nos resultados finais do transplante. Dessa forma, a ME promove alterações microcirculatórias e inflamatórias que comprometem a qualidade dos órgãos. Em primeiro lugar, a integridade da microcirculação, essencial para garantir a oxigenação tecidual adequada, é perdida, de modo que, em estudos anteriores do nosso laboratório, modificações de fluxo e formação de microtrombos prejudicaram a perfusão e, assim, a viabilidade dos órgãos. No intuito de melhorar a microcirculação, tratamentos com trombolíticos, utilizados em casos de embolia pulmonar e AVC isquêmico, mostraram-se efetivos, promovendo a lise dos coágulos e restabelecendo o fluxo. Ademais, além do prejuízo microcirculatório, a ME resulta em processo inflamatório sistêmico, caracterizado pela maior expressão de mediadores inflamatórios nos órgãos em conjunto com alterações hormonais secundárias à falência hipofisária, resultando em redução na concentração sérica de corticosterona endógena, o que potencializa a degeneração orgânica. Nesse ínterim, a reposição hormonal do doador com corticoides melhora a qualidade de diversos órgãos para transplante. A partir da ideia de que o controle de tais alterações seja capaz de otimizar a viabilidade dos órgãos transplantados, este projeto tem como objetivo investigar o efeito do tratamento do ativador do plasminogênio tecidual (rTPA) e sua associação com a metil-prednisolona na inflamação e na microcirculação. Utilizando modelo de morte encefálica em ratos, as análises laboratoriais pretendem avaliar a expressão proteica de sintases do NO e da endotelina no mesentério, as alterações hemodinâmicas e gasométricas, e a dosagem sérica de corticosterona e de mediadores inflamatórios.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)