Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso da dapaglifozina na Injúria Renal Aguda induzida por Sepse

Processo: 21/02556-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2021
Vigência (Término): 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Lucia da Conceição Andrade
Beneficiário:Michael Natsubori Sato
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nefrologia   Lesão renal aguda   Sepse   Fármacos   Imuno-histoquímica   Western blotting   Microscopia eletrônica   Modelo experimental   Ratos Wistar

Resumo

Objetivo: estudar a possível proteção ou não da dapaglifozina (inibidor da SGLT2) na injúria renal aguda induzida por Sepse em animais não diabéticos. As funções glomerular e tubular serão avaliadas por meio de clearance de creatinina, frações de excreção de íons, osmolalidade urinária, e volume urinário. Motivo: a Sepse é uma condição clínica desafiadora, heterogênea e muito variada, sendo a causa principal de morte em unidades de terapia intensiva (UTI). O gatilho da sepse é uma infecção que modifica o funcionamento local e sistêmico de reações imuno-inflamatórias, resultando na múltipla disfunção de órgãos e com altas taxas de mortalidade e morbidade. Uma destas disfunções, a Injúria Renal Aguda (IRA), ocorre em 50% dos pacientes com sepse, sendo que o desenvolvimento da IRA consiste em um mau prognóstico para estes, com consequente mortalidade em cerca de 70%, dobrando a mortalidade da sepse. Na IRA induzida por sepse, uma série de evidências indicam que a injúria renal ocorra sem a presença de hipoperfusão global ou local, mas com um fluxo sanguíneo renal aumentado e que seja principalmente caracterizada por áreas localizadas de fluxo sanguíneo peritubular lento e estresse oxidativo das células tubulares. Neste contexto, foi teorizado que os inibidores de SGLT2 (co-transportador de sódio e glicose no túbulo proximal renal) poderiam reduzir a injúria renal aguda, tendo em vista seus efeitos de proteção renal já comprovados em injúrias tanto agudas quanto crônicas, principalmente pela redução da taxa de filtração glomerular e redução do estresse oxidativo. Métodos: os procedimentos experimentais serão desenvolvidos com aprovação da Comissão de Ética no Uso de Animais (FMUSP - CAPPESQ) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Brasil, no uso de animais. Serão utilizados 24 ratos Wistar machos com pesos entre 200 - 250g e cerca de 8 semanas de vida que serão obtidos do Biotério Central da FMUSP. Os animais serão mantidos separados, em ambiente com temperatura (22 - 24oC) e luz controladas (ciclo de 12 horas claro/escuro) e terão livre acesso à água e a dieta padrão AIN-93G. Os animais serão randomicamente divididos em três grupos a seguir relacionados. Todos os animais tratados receberão 5mg/kg/dia por gavagem por 8 dias e serão separados em três grupos:3.1.1) Controle: animais colocados em gaiola metabólica por 24 horas para coleta de sangue, urina e retirada dos rins;3.1.2) Ligadura e perfuração do Ceco (CLP): receberão 7 dias de água destilada por gavagem na mesma quantidade da diluição da dapaglifozina, no 7º dia haverá procedimento cirúrgico para ligadura e perfuração do ceco. Após o procedimento serão colocados em gaiola metabólica por 12h para coleta de sangue, urina e retirada de rins;3.1.3) Ligadura e perfuração do Ceco sendo tratado com dapaglifozina (CLP+DAPA) por 8 dias: receberão por 7 dias dapaglifozina por gavagem diluída em água destilada, no 7º dia procedimento cirúrgico para ligadura e perfuração do ceco e após isso serão colocados em gaiola metabólica por 12h para coleta de sangue, urina e retirada dos rins. Serão analisados e realizados os seguintes parâmetros e procedimentos: determinações bioquímicas (ureia sérica, sódio sérico/urinário, dosagem e frações de colesterol e creatinina sérica/urinária), extração de proteínas totais e de membrana de tecido renal (Western Blot), expressão de proteínas em tecido renal, imunohistoquímica, microscopia eletrônica em tecido renal, análise quantitativa e qualitativa ultraestrutural, escore de Lesão renal, estudo de células TUNEL no rim, avaliação histológica de lesão tubular em tecido renal, curva de mortalidade e análise estatística. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)