Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigando os efeitos de diferentes procedimentos de condicionamento avaliativo na modificação de atitudes negativas em relação a faces negras

Processo: 21/04105-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2022
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Júlio César Coelho de Rose
Beneficiário:Denise Aparecida Passarelli
Instituição Sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Atitudes   Racismo   Negritude   Condicionamento (psicologia)   Análise experimental do comportamento
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:atitudes | Condicionamento avaliativo | Discriminação Condicional | Emparelhamento direto | Faces Negras | Racismo | Análise Experimental do Comportamento

Resumo

O racismo pode ser compreendido como um conjunto de atitudes negativas em relação a indivíduos que apresentam determinadas características físicas, como cor da pele ou textura do cabelo. Atitudes são avaliações positivas ou negativas sobre estímulos relevantes (e.g., face de uma pessoa negra). No campo metodológico, o procedimento de condicionamento avaliativo tem sido uma ferramenta eficaz para modificação de avaliações. Portanto, o presente estudo pretende explorar os efeitos de três tipos de intervenção, cada uma envolvendo uma modalidade de condicionamento avaliativo, na eventual modificação de atitudes negativas em relação a faces negras. Serão realizados quatro experimentos, onde selecionaremos trinta e seis participantes, com idade entre 8 e 10 anos, e doze adolescentes estudantes da primeira série do Ensino Médio, que apresentarem avaliações negativas em relação às faces negras em um pré-teste. No primeiro experimento (n=12), os participantes receberão um treino de discriminação condicional para estabelecer relação de equivalência entre faces negras e um símbolo positivo. O segundo experimento (n=12) pretende realizar um procedimento de emparelhamento direto entre faces negras e estímulos positivos. Nos dois últimos experimentos (n=12 em cada), faces negras serão apresentadas por 17 ms e emparelhadas com estímulos positivos, sendo o Experimento 3 realizado com adolescentes e o Experimento 4 com crianças. Em cada experimento será realizado um delineamento de sondas múltiplas e as medidas em cada sonda compreenderão: uma avaliação "explícita" por meio do Self-Assessment Manikin (SAM), uma avaliação “implícita” por meio do Function Acquisition Speed Test (FAST), um teste de preferências com brinquedos que incluirá bonecas negra e branca e, por fim, uma avaliação, por meio de matching-to-sample, da relação entre faces negras e brancas e símbolos positivos e negativos. As sondas ocorrerão em quatro momentos: antes de qualquer intervenção; depois da intervenção feita com apenas metade dos participantes; depois da intervenção feita com a outra metade dos participantes, além de uma avaliação para seguimento, realizada seis semanas após o encerramento da intervenção. Os achados ajudarão elucidar em que medida os procedimentos de condicionamento avaliativo podem resultar em redução ou eliminação de vieses negativos em relação a faces negras. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)