Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do papel da O-glicosilação com N-acetil-glucosamina (O-GlcNAc) no estresse vascular induzido por concentrações suprafisiológicas de aldosterona

Processo: 21/09273-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2022
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Rita de Cassia Aleixo Tostes Passaglia
Beneficiário:Daniel Rodrigues
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia vascular   Glicosilação   N-acetilglucosamina   Aldosterona   Autofagia   Espécies de oxigênio reativas

Resumo

A aldosterona (Aldo) é um hormônio mineralocorticoide que regula o transporte renal dos íons sódio (Na+) e potássio (K+). Entretanto, Aldo possui efeitos extrarrenais, especialmente em concentrações suprafisiológicas, que contribuem para as doenças cardiovasculares. A Aldo, em função de suas propriedades pró-fibróticas, pró-inflamatórias e pró-oxidativas, promove diversas alterações em órgãos-alvo, como o coração e os vasos sanguíneos. O estresse oxidativo, i.e. geração exacerbada de Espécies Reativas do Oxigênio (EROs), representa mecanismo importante nas alterações vasculares associadas a doenças cardiovasculares. A O-glicosilação de proteínas com N-acetilglucosamina (O-GlcNAc) ou, mais especificamente, a adição de um monômero de N-acetilglucosamina em resíduos de serina e treonina de proteínas citoplasmáticas e nucleares, é uma modificação pós-traducional que pode alterar a localização e função de várias proteínas, modulando, assim, a sinalização celular e respostas ao estresse. O-GlcNAc é importante no contexto cardiovascular e estudos recentes demonstram que EROs podem estimular a modificação por O-GlcNAc na vasculatura. Considerando que a Aldo é um hormônio com propriedades pró-oxidativas e que EROs podem interferir com a modificação de proteínas por O-GlcNAc, este estudo testará a hipótese que concentrações suprafisiológicas de Aldo promovem aumento global de proteínas vasculares O-glicosiladas, evento mediado pela oxidação e redução da atividade da OGA (enzima que remove O-GlcNAc de proteínas glicosiladas), contribuindo para a disfunção vascular induzida por este hormônio mineralocorticoide. Considerando ainda evidências recentes que I) Aldo modula autofagia, importante processo intracelular ativado em resposta a diferentes estímulos estressores; e II) a MPT por O-GlcNAc regula proteínas que controlam o fluxo autofágico, nosso estudo também avaliará se Aldo induz disfunção vascular por comprometer o processo de autofagia e se a modificação de proteínas autofágicas por O-GlcNAc representa mecanismo envolvido nos efeitos da Aldo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)