Busca avançada
Ano de início
Entree

Biodegradação de microplástico poliestireno por fungos filamentosos isolados do mangue e Apicum

Processo: 21/11074-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2022
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Cristiane Angélica Ottoni
Beneficiário:Letícia Fontes Gama
Instituição Sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Micologia   Biodegradação   Fungos filamentosos   Microplásticos   Poliestirenos   Xenobiótico   Enzimas   Biorremediação   Manguezais
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:biodegradação | enzima | Fungos filamentosos | mangue | poliestireno | Micologia; Biorremediação

Resumo

Os microplásticos (MPs) são considerados como contaminantes emergentes e possuem tamanho igual ou inferior a 5 mm de diâmetro. Estes incluem tereftalato de polietileno (PET), polietileno (PE), polietileno de alta densidade (HDPE), polietileno de baixa densidade (LDPE), cloreto de polivinila (PVC), polipropileno, poliestireno (PS) e plásticos diversos que incluem policarbonato, poli(ácido lático), fibra de vidro, nylon, dentre outros polímeros. A remoção de MPs do ambiente marinho é mais difícil devido ao seu tamanho, ampla distribuição e composição complexa. Na última década, muitos estudos investigaram a distribuição de MPs e efeitos adversos relacionados a este e outros ecossistemas, enquanto que, poucos estudos procuraram identificar uma estratégia ideal para eliminar ou mitigar seus efeitos. No processo de explorar métodos para diminuir a poluição por MPs, foi observado que, embora os MPs possam persistir no ambiente e resistir à degradação, eles podem ser degradados por alguns microrganismos (MO). Dentre os MO capazes de biodegradar MPs, os fungos filamentosos (Ff) são um dos mais promissores, visto que, são reconhecidamente descritos como organismos que exercem um papel crucial na degradação e mineralização de diversos poluentes. Os processos de biodegradação de MPs por Ff podem ser avaliados através do crescimento microbiano e/ou alterações no próprio polímero. No entanto, até a presente data poucos Ff foram isolados, identificados, assim como, as interações entre estes organismos e MPs ainda não foram totalmente elucidadas. Dentre os Ff mais explorados nos últimos anos os oriundos de ambientes extremofílicos merecem destaque, visto que, estão adaptados a condições mais adversas em comparação as detectadas em ambientes terrestres como por exemplo: alta pressão, baixa temperatura, nutrientes oligotróficos e alta salinidade. Visto isso, a possibilidade da utilização de organismos oriundos deste ambiente representa ser uma alternativa promissora e que atende a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável nos objetivos (13) Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos e (14) Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável. Deste modo, o presente projeto tem como objetivo prospectar Ff oriundos do Mangue e Apicum com capacidade de biodegradar o microplástico PS. Esta é uma etapa fundamental para a posterior análise das enzimas envolvidas no processo de biodegradação deste composto xenobiótico e recalcitrante.(AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)