Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização química-analítica dos resíduos procedentes da indústria de alimentos

Processo: 22/01567-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2022
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Tânia Forster Carneiro
Beneficiário:Matheus Queiroz
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/14938-4 - Waste2energy: integração das tecnologias supercrítica e digestão anaeróbia através de um sistema automatizado para produção de precursores de biocombustíveis, AP.JP2
Assunto(s):Química analítica   Resíduos industriais   Compostos bioativos   Bioenergia   Biomassa lignocelulósica   Biorrefinarias   Extração supercrítica

Resumo

O foco principal é dirigido aos chamados precursores: carboidratos, lignina, óleos, e proteínas, e à combinação entre conversões biotecnológicas e químicas das substâncias para a obtenção de produtos intermediários e finais e que, se encontraram no estado líquido, sólido, gasoso. O principal objetivo das atividades a serem realizadas pelo estudante de iniciação científica será de caracterização e pré-processamento das matérias primas iniciais (casca de laranja, casca de limão, casca de maça, bagaço de malte, açaí) e dos produtos finais obtidos nos processos de hidrólise e ou digestão anaeróbia. Um fluxograma das análises químicas é apresentado na Figura 1. Com o objetivo de uniformizar e homogenizar a matéria-prima serão realizados os seguintes ensaios para determinação de metodologia de pré-tratamento das amostras: ensaios de trituração, ensaios de lavagem. Finalizado o pré-tratamento as amostras serão pesadas em balança semi-analítica (Marte, modelo AS 2000 ± 0,01g, ARTLAB, São Paulo, SP) e imediatamente acondicionadas em sacos plásticos e mantidas em freezer (Metalfrio, modelo DA 420, São Paulo, SP) a -10 -18ºC. Uma caracterização exaustiva de cada matéria-prima será realizada quanto a teor de umidade amido, lipídeos, cinzas, proteína total, fibras, açúcares redutores e totais, teor de celulose, teor de carbono, hemicelulose e ligninas (NELSON, 1944; MILLER, 1959; AOAC, 1997, ZHAO et al., 2009b). Todas as matérias primas serão utilizadas na forma in natura. Outras análises poderão ser realizadas em cromatografia de fluido supercrítico (SFC) e/ou cromatografia líquida segundo metodologia de MIYAZAWA e FUNAZUKURI (2005). Os produtos finais obtidos neste processo serão divididos em: fração líquida, fração sólida e biogás. Todos os produtos serão caracterizados com o objetivo de se estudar a eficiência do processo (SCHACHT et al, 2008). As amostras de gás serão analisadas imediatamente após o experimento em Cromatógrafo a Gás-CG. Os resultados permitirão calcular os diversos parâmetros de eficiência do processo: grau de hidrólise (%), rendimento em açúcares redutores e açúcares redutores totais (%), taxa de gasificação do carbono (CGR), taxa de gasificação do hidrogênio (GH), taxa de eficiência da gaseificação (EG), taxa de eficiência de gaseificação de carbono (EGC). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)