Busca avançada
Ano de início
Entree

No he sido ni soy un misógino: antifeminismos nas revistas ilustradas humorísticas PBT e O Malho (Argentina e Brasil, 1904-1918)

Processo: 21/14104-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2022
Vigência (Término): 30 de setembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História da América
Pesquisador responsável:Stella Maris Scatena Franco
Beneficiário:Thaís Batista Rosa Moreira
Supervisor: Mara Elisa Burkart
Instituição Sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidad Nacional de San Martín (UNSAM), Argentina  
Vinculado à bolsa:20/05001-9 - No he sido ni soy un misógino: antifeminismos nas revistas ilustradas humorísticas PBT e O Malho (Argentina e Brasil, 1904-1918), BP.MS
Assunto(s):América Latina   História comparada   Direitos da mulher   Militância   Feminismo   Igualdade de gênero   Humor
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:América Latina | antifeminismo | antissufragismo | História Comparada | humor | Imprensa ilustrada | História das Relações de Gênero, História Cultural do Humor

Resumo

O tema dos direitos das mulheres e o sufrágio feminino ganhou impacto no início do século XX. A imprensa concentrou-se em narrar a atuação das militantes inglesas, ao mesmo tempo que associações feministas e de mulheres latino-americanas também se articulavam para reivindicar os direitos de igualdade. Essas crescentes mobilizações políticas despertaram críticas na opinião pública, que se utilizou de diferentes abordagens para deslegitimar, ridicularizar e produzir desconfiança para com os movimentos feministas. A proposta dessa pesquisa é analisar os posicionamentos antifeministas, veiculados entre 1904 e 1918 nas revistas ilustradas humorísticas PBT (Argentina) e O Malho (Brasil). A perspectiva da história comparada é evocada para compreender as semelhanças e as particularidades dos antifeminismos em cada país. As caricaturas, crônicas e vinhetas presentes nas revistas manejavam um humor de teor sexista, que satirizava o feminismo e da busca por igualdade de direitos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)