Busca avançada
Ano de início
Entree

Sinal filogenético e o efeito do tamanho de corpo na qualidade do registro fóssil de Carnivora

Processo: 22/02093-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2022
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Paleozoologia
Pesquisador responsável:Tiago Bosisio Quental
Beneficiário:Thaís Gomes Piazza Faria
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:21/06780-4 - Os mecanismos que controlam a biodiversidade em tempo profundo em escalas local, regional e global, AP.BTA.JP2
Assunto(s):Filogenia molecular   Fossilização   Carnivora   Macroevolução   Modelos lineares

Resumo

O registro fóssil é, sem dúvida, a forma mais direta de estimar taxas de especiação e extinção, mas ele pode ser espacial e temporalmente incompleto, e mostra qualidade de preservação variável entre linhagens. Entender que fatores podem afetar a qualidade do registro nos ajudaria a interpretar melhor inferências macroevolutivas e nos guiaria no desenvolvimento futuro de ferramentas desenhadas para lidar com tais vieses. Neste projeto, iremos primeiro quantificar a qualidade do registro fóssil mensurando quantas ocorrências fósseis cada espécie viva da ordem Carnivora (Mammalia) possui. A vantagem de usar espécies vivas é que nós podemos usar uma filogenia molecular bastante completa e, portanto, incorporar as relações filogenéticas entre espécies nas análises estatísticas a serem conduzidas. Depois de quantificar a qualidade do registro fóssil, iremos estimar se está qualidade apresenta sinal filogenético, e então investigar se o tamanho de corpo das espécies é estatisticamente associado com a qualidade do registro. O tamanho de corpo pode direta ou indiretamente interferir em diferentes processos (que variam desde processos de fossilização a interesse de pesquisadores) que afetam a qualidade do registro fóssil de diferentes linhagens. Por exemplo, espécies maiores podem ser identificadas mais facilmente e atraem mais interesse de pesquisadores, resultando em mais ocorrências fósseis para espécies maiores. Por outro lado, espécies menores, pelo fato de tipicamente terem taxas reprodutivas mais altas e populações maiores, podem eventualmente ter uma maior chance de fossilização como resultado de um efeito puramente estatístico. A estudante de iniciação usará o registro fóssil da ordem Carnivora (Mammalia), uma filogenia molecular de um estudo previamente publicado, e modelos lineares generalizados mistos (GLMM) para investigar essas questões.(AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)