Busca avançada
Ano de início
Entree

Persistência de vírus sincicial respiratório em modelo experimental

Processo: 22/01238-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2022
Vigência (Término): 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Eurico de Arruda Neto
Beneficiário:Daniela Méria Ramos Rodrigues
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Vírus sinciciais respiratórios   Virologia   Infecções por vírus respiratório sincicial

Resumo

O vírus sincicial respiratório humano (HRSV) causa desde infecções leves no trato respiratório superior a infecção grave no trato respiratório inferior, e é o principal agente etiológico de infecção do trato respiratório inferior em recém-nascidos, faixa etária na qual é uma das principais causas de mortalidade. A infecção aguda de lactentes por HRSV causa bronquiolite em decorrência da citopatologia causada pelo vírus no tecido epitelial, que desencadeia uma resposta imuno-inflamatória, com necrose tissular e obstrução de pequenas vias aéreas. Além de infecção aguda com citólise, HRSV pode causar infecção persistente em modelos in vitro, e nosso grupo de pesquisa tem mostrado a presença de HRSV aparentemente persistente em tecidos linfoides humanos. Mais ainda, já temos dados (ainda não publicados) que mostram que HRSV pode persistir por pelo menos 180 dias em tecidos linfoides, rins, pulmão e sistema nervoso central (SNC) de camundongos inoculados experimentalmente e, importantemente, não ocorreu persistência em animais knockout para IL-10. Diante disso, o presente projeto objetiva investigar mecanismos de persistência de HRSV nos tecidos de camundongos C57Bl/6, com destaque para o papel da IL-10 e do acúmulo de genomas virais defectivos (DVGs). Camundongos C57Bl/6 neonatos machos - normais e knockouts para IL-10 - serão inoculados pela via intranasal e serão observados durante 6 meses. Grupos de 4 animais serão eutanasiados em diferentes tempos pós infecção, para determinação de carga viral, anti-genomas e de DVGs por real-time RT-PCR, imuno-histoquímica e hibridação in situ de diferentes órgãos para determinar localização viral e tipos celulares infectados, e dosagem de RNAm e proteína IL-10. Dados preliminares inéditos já obtidos, como a infecção persistente do SNC e dos rins, serão neste projeto aprofundados e examinados em detalhes.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)