Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel da ectonucleotidase CD39 na síndrome do desconforto respiratóro associado à malária

Processo: 22/00858-4
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2022
Vigência (Término): 30 de novembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Maria Regina D'Império Lima
Beneficiário:Luciana dos Santos Barros Manhães
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/20432-8 - Intervenção em vias de sinalização associadas ao reconhecimento de dano celular visando reduzir a patologia das formas graves de malária e tuberculose, AP.TEM
Assunto(s):Imunorregulação   Malária   Plasmodium
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Ectonucleotidase CD39 | Imunologia | imunorregulação | malária | Plasmodium | síndrome respiratória | Imunologia

Resumo

A Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) decorre de lesão pulmonar aguda (LPA) causada, principalmente, por doenças infecciosas pulmonares. A quebra da barreira alvéolo-capilar resulta no aumento da permeabilidade vascular, extravasamento de fluidos para o espaço intersticial do pulmão e hipóxia. Esse quadro é relatado na malária pulmonar, em que ocorre a tempestade de citocinas e a ação de linfócitos T CD8+ destruindo o endotélio vascular. Neste contexto, postulamos que a ectonucleotidase CD39 possa ter um papel regulador importante, clivando o ATP liberado durante o dano celular e a resposta inflamatória aguda e gerando adenosina que possui atividade anti-inflamatória. Assim, o objetivo geral deste projeto é determinar o papel da enzima CD39 no desenvolvimento da malária pulmonar. Como modelo experimental, será avaliada a doença pulmonar causada pelo Plasmodium berghei NK65 em camundongos C57BL/6 e ENTPD1-/-, bem como em animais CD8-/- transferidos adotivamente com linfócitos T CD8+ desprovidos ou não desta molécula. Os parâmetros a serem analisados serão a parasitemia, a curva de sobrevivência, a concentração sérica do fator de crescimento endotelial (VEGF), a pausa e a frequência respiratória, assim como a histologia, a permeabilidade e a composição leucocitária dos pulmões. A patogênese da malária pulmonar e seus mecanismos imunológicos precisam ser melhor compreendidos a fim de contribuir no desenvolvimento de terapias alvo-específicas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)