Busca avançada
Ano de início
Entree

Remoção de diclofenaco e ibuprofeno em esgoto sanitário por digestão anaeróbia em AnSBBR: viabilidade de codigestão com glicose, sacarose e lactose

Processo: 22/06536-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2022
Vigência (Término): 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Giovanna Lovato
Beneficiário:Laura Santos Rivera
Instituição Sede: Escola de Engenharia Mauá (EEM). Instituto Mauá de Tecnologia. São Caetano do Sul , SP, Brasil
Assunto(s):Esgotos sanitários   Contaminantes emergentes   Digestão anaeróbia   Tratamento de água   Reatores anaeróbios operados em bateladas sequenciais com biomassa imobilizada   Metano
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:AnSBBR | codigestão | contaminantes emergentes | Digestão Anaeróbia | Esgoto sanitário | fármacos | Remoção de contaminantes emergentes

Resumo

A ocorrência de compostos farmacêuticos, como o diclofenaco de sódio e ibuprofeno, em águas superficiais, solos, águas residuárias e água potável aumentou significativamente nas últimas décadas, e a tendência é que continue aumentando. Dois fatos importantes contribuíram para esse problema e o tornaram uma preocupação crescente: o aprimoramento das tecnologias de quantificação e o aumento do consumo dessas substâncias. A detecção desses contaminantes emergentes em estações de tratamento indica a ineficácia dos sistemas atualmente empregados e os mesmos podem causar efeitos adversos na saúde humana e ecossistemas aquáticos. Uma tecnologia eficiente no tratamento de diversos tipos de águas residuárias e que é uma alternativa propícia para a remoção de tais fármacos, é a digestão anaeróbia, a qual demanda menos energia e apresenta menor custo em comparação a outros métodos. A aplicação da codigestão anaeróbia é uma opção viável para superar algumas desvantagens da monodigestão (como a as baixas cargas orgânicas), melhorando a eficiência do tratamento e a viabilidade econômica de plantas convencionais. Para tal finalidade, os biorreatores anaeróbios operados em bateladas sequenciais vêm sendo estudados pelo grupo de pesquisa da Escola de Engenharia Mauá do Instituto Mauá de Tecnologia há duas décadas e têm apresentado resultados promissores obtidos em escala de bancada. As principais vantagens deste tipo de biorreator são sua simplicidade; melhor retenção de sólidos; e alta eficiência de remoção de matéria orgânica. Nesse contexto, o presente projeto tem como objetivo estudar a viabilidade operacional de um reator anaeróbio operado em bateladas alimentadas sequenciais contendo biomassa imobilizada (AnSBBR) no tratamento de esgoto sanitário sintético para remoção de diclofenaco e ibuprofeno, avaliando a influência da adição dos cossubstratos glicose, sacarose e lactose. Os resultados serão avaliados sobre a estabilidade e eficiência do processo em relação à conversão de substrato e micropoluentes, à produtividade de metano e ao rendimento entre metano produzido e substrato consumido.(AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)