Busca avançada
Ano de início
Entree

Restauração de paisagens florestais e economia de base florestal

Processo: 22/07712-5
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2022
Vigência (Término): 31 de julho de 2025
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Silvicultura
Pesquisador responsável:Ricardo Ribeiro Rodrigues
Beneficiário:Pedro Medrado Krainovic
Instituição Sede: Instituto de Estudos Avançados (IEA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:20/06694-8 - BIOTA SÍNTESE - Núcleo de Análise e Síntese de Soluções Baseadas na Natureza, AP.BTA.NPOP
Bolsa(s) vinculada(s):23/00412-9 - O potencial monetário da restauração florestal, BE.EP.PD
Assunto(s):Economia florestal   Bioeconomia   Restauração florestal   Políticas públicas   Biodiversidade   Sustentabilidade   Desenvolvimento territorial   São Paulo
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Acordos climáticos globais | Benefícios da biodiversidade | bioeconomia | Modelos de restauração ecológica | Políticas públicas em benefício do homem e da natureza | Soluções baseadas na natureza | Economia de base florestal

Resumo

A restauração florestal se destaca na mitigação de impactos humanos no clima, biodiversidade e serviços ecossistêmicos. Entretanto, essa atividade ainda é vista como um uso do solo pouco competitivo devido aos altos custos associados e ao baixo retorno financeiro direto, havendo urgência no desenvolvimento de modelos que permitam impulsionar as oportunidades da restauração florestal, de forma a torná-la uma atividade atrativa ambiental e economicamente, para múltiplos stakeholders. O projeto Biota Síntese, em seu segundo desafio, pretende desenvolver questões relacionadas com a economia de base florestal no recorte da restauração florestal. De forma particular, a exploração de produtos florestais madeireiros e não madeireiros, seja por meio do manejo de florestas secundárias ou da restauração de áreas degradadas, com fins econômicos, possuem grande potencial de maximizar os múltiplos benefícios da restauração ecológica em paisagens florestais. A silvicultura de espécies nativas, principalmente com integração de múltiplas espécies, se apresenta como um sistema de produção madeireira com benefícios tanto ecológicos como econômicos, face a crescente escassez de madeiras nativas oriundas do extrativismo da Amazônia, à homogeneização da cobertura florestal por cultivos monoespecíficos de espécies exóticas, a perda de biodiversidade, à elevação do preço do produto madeireiro de espécie nativa no mercado nacional e internacional e à rentabilidade crescente de negócios de base florestal, com uso de biotecnologia e desenvolvimento de produtos naturais com alto valor agregado. A exploração desses produtos de origem do consorcio de espécies nativas tem a vantagem de ter menor impacto ambiental que a exploração de maciços florestais homogêneos de espécies exóticas, de favorecer o envolvimento de comunidades locais e de viabilizar economicamente a restauração florestal em larga escala, ao mesmo tempo em que impulsiona os acordos globais pró clima. Nesse sentido, o objetivo deste projeto de pós-doutorado é subsidiar cientificamente a elaboração participativa de políticas públicas que promovam a restauração ecológica em larga escala e sustentável economicamente, atendendo assim a demanda da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), que tem como um dos objetivos, "estruturar ações para uso sustentável da biodiversidade e na economia florestal, como instrumentos de desenvolvimento territorial, restauração de ecossistemas e conexão da vegetação no Estado de São Paulo". Para tal, avaliaremos e sintetizaremos as informações disponíveis sobre as demandas e oportunidades econômicas da restauração ecológica em paisagens florestais. Combinando essas estratégias numa atuação aproximada entre academia, sociedade civil, mercados e governo, revisaremos o marco legal da produção florestal nativa no Estado e no Brasil, produção essa resultante tanto da restauração de áreas degradadas, como do manejo de florestas degradadas remanescentes. Nossos resultados irão aperfeiçoar modelos de restauração ecológica com fins econômicos, a partir de metodologias orientadas pelas percepções dos múltiplos stakeholders, de forma a restringir o processo de homogeneização de paisagens florestais e de exclusão social, e fomentar a transformação da restauração florestal numa atividade economicamente viável e competitiva. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)