Busca avançada
Ano de início
Entree

BCG recombinante como plataforma vacinal contra COVID-19: construção de vacinas polivalentes para as principais variantes de SARS-CoV-2

Processo: 21/12711-5
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2022
Vigência (Término): 31 de julho de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luciana Cezar de Cerqueira Leite
Beneficiário:Giana Carla Gaboardi
Instituição Sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/24832-6 - Desenvolvimento de vacinas baseadas em BCG recombinante: Tuberculose, Pertussis, Pneumococo e Schistosoma, AP.TEM
Assunto(s):Vacinas   Vacinas combinadas   BCG recombinante   Imunidade   COVID-19   SARS-CoV-2   Betacoronavirus
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:BCG recombinante | Covid-19 | SARS-CoV-2 | Vacinas | variantes | Vacinas

Resumo

A pandemia de COVID-19 é responsável por causar a maior crise do último século. A vacinação em massa é considerada a opção mais efetiva para o freamento do vírus. Os efeitos a longo prazo da COVID-19 sobre a resposta imune ainda estão sendo estudados e serão cruciais para determinar qual estratégia vacinal é mais adequada para a manter uma imunidade duradoura. Além disso, o surgimento de variantes que carreiam mutações em sítios determinantes para a montagem de uma resposta imunológica efetora preocupa quanto à perda de eficácia das vacinas atuais. Portanto, novas vacinas contra SARS-CoV-2 que englobem estas alterações podem representar alternativas promissoras de prevenção da COVID-19. A vacina BCG (Bacille Calmette-Guerin), utilizada para imunização contra Tuberculose, vem sendo explorada como plataforma para expressão de proteínas heterólogas, dentre elas, antígenos vacinais. Várias características da vacina BCG, como a segurança, propriedades adjuvantes e ativação da imunidade treinada, aliadas ao fato de ser uma vacina em uso, podem ser favoráveis em uma vacina de BCG recombinante contra SARS-CoV-2. Até esta data, não há relatos de uma vacina de BCG recombinante contra SARS-CoV-2. Nosso laboratório produziu cepas de rBCG-RBD e rBCG:LTB-RBD, que expressam o domínio de ligação ao receptor (RBD) de SARS-CoV-2 com os sem fusão com o adjuvante LTB (subunidade B da toxina lábil de E. coli) e que estão sendo avaliados em modelos animais. Assim, a proposta deste projeto é dar continuidade à caracterização destas cepas e construir cepas de rBCG polivalente contra as variantes Gama e Delta de SARS-CoV-2. As mutações das variantes serão inseridas na sequência de RBD por Overlap Extension PCR. Posteriormente, os genes de RBD mutantes (mRBD) serão clonados e expressos em BCG e, confirmada a expressão de rBCG:mRBD, a indução da resposta imune será caracterizada em camundongos, com a quantificação de anticorpos neutralizantes e a determinação do perfil de resposta imune celular induzida em resposta à imunização. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)