Busca avançada
Ano de início
Entree

Reconstruções paleoclimáticas e paleoceanográficas na margem equatorial brasileira: análise de proxy e modelagem numérica

Processo: 22/09177-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de setembro de 2022
Vigência (Término): 30 de abril de 2024
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Geológica
Pesquisador responsável:Luigi Jovane
Beneficiário:Thauana Rodrigues Gonçalves
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/24946-9 - Mudanças do nível do mar e o Sistema Monçônico Global: avaliação através de testemunhos marinhos no Brasil, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Paleomagnetismo   Paleoclimatologia   Modelos matemáticos   Circulação oceânica   Mudança climática   Ecossistemas marinhos   Último máximo glacial

Resumo

Compreender a circulação oceânica e o clima passado é crucial para antecipar as mudanças climáticas futuras e seus impactos nos ecossistemas marinhos. Nesse contexto, reconstruções paleoclimáticas e paleoceanográficas da margem equatorial brasileira são de extrema importância uma vez que está posicionada há pelo menos 100 milhões de anos em uma região de clima equatorial, em latitude praticamente constante, sendo uma importante fonte de registros históricos. Além disso, é uma região-chave para o estudo da circulação oceânica e climática global, compreendendo parte da Circulação de Revolvimento Meridional do Atlântico (AMOC) e a Corrente Norte do Brasil. A investigação das mudanças pretéritas da AMOC pode ser realizada a partir da estratigrafia do sedimento marinho, com análise de paleopropriedades. Propriedades magnéticas em sedimentos marinhos têm o potencial de analisar mudanças ambientais continentais passadas, via mudanças no suprimento magnético terrígeno, mas também registrar condições ambientais marinhas passadas, via formação de minerais magnéticos. Devido a distribuição espacial heterogênea de dados obtidos da análise estratigráfica, os modelos numéricos são excelentes ferramentas para entender o comportamento oceanográfico e climático da área de interesse, de forma homogênea. Desta forma, este projeto de doutorado pretende entender as alterações no comportamento dos parâmetros magnéticos em testemunhos de sedimentos da margem equatorial brasileira em diferentes períodos paleoclimáticos, como no Último Máximo Glacial, complementando com dados oceanográficos obtidos a partir de simulações numéricas. Será investigada a susceptibilidade magnética e magnetizações remanescentes de dois testemunhos provenientes da Bacia de Potiguar (730m e 3867m de profundidade da coluna d'água) obtidos do projeto RETRO III, com o intuito de desvendar mudanças na entrada de sedimentos terrígenos, nas condições de água de fundo e oscilações no nível do mar. A caracterização oceanográfica será realizada utilizando o modelo Regional Ocean Modeling System (ROMS), com condições de contorno obtidas do modelo global Community Earth System Model versão 2 (CESM2). As simulações serão conduzidas durante o período glacial e atual. Com os resultados deste projeto espera-se compreender a contribuição terrígena e o comportamento da circulação oceânica na margem equatorial brasileira em períodos glaciais e interglaciais. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)