Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da expressão dos genes PADG_11161 e PADG_08285 do Paracoccidioides spp

Processo: 22/14912-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2023
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Luciane Alarcão Dias-Melicio
Beneficiário:Juliana Quintaneiro Bizzotto
Instituição Sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Expressão gênica   Micologia
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:DNAse | gene expression | Neutrophil Extracellular Traps (NETs) | Paracoccidioides spp | Micologia

Resumo

A paracoccidioidomicose (PCM) é uma doença sistêmica de etiologia fúngica considerada endêmica na América Latina. Esta micose possui como agentes etiológicos os fungos Paracoccidioides spp., especificamente Paracoccidioides brasiliensis (S1), Paracoccidioides americana (PS2), Paracoccidioides restrepiensis (PS3), Paracoccidioides venezuelensis (PS4) e Paracoccidioides lutzii. Estes agentes são dimórficos, portanto, possuem um habitat geográfico restrito, e apesar de sua distribuição ser heterogênea, a PCM possui predominância no Brasil, Venezuela, Argentina e Colômbia. A micose se instala por meio da inalação de conídios infectantes, causando uma resposta inflamatória crônica nos pulmões, morfologicamente manifestada pela formação de granulomas. Uma das células de suma importância para a imunidade inata do organismo humano, e que chegam rapidamente ao sítio de infecção, são os neutrófilos, que possuem a capacidade de liberação de redes extracelulares de neutrófilos (NETs - Neutrophil Extracellular Traps), as quais são aptas a aprisionar e destruir leveduras fúngicas. No entanto, a sobrevivência intracelular das espécies de Paracoccidioides é garantida por meio dos fatores de virulência. Uma possível habilidade seria a produção de DNAse extracelular, ou de uma proteína semelhante à DNAse, que poderia atuar como um mecanismo de escape dessas redes. Esta capacidade de produção enzimática degradadora de material genético representaria um método de fuga das NETs, e desta maneira, possibilitaria a manutenção do fungo no tecido. No genoma da cepa Pb 18 do P. brasiliensis (ABKI00000000.2) foram identificadas duas regiões codificadoras de duas proteínas hipotéticas que apresentariam uma atividade semelhante à DNAse, que seriam os genes PADG_11161 - Gene ID: 22587058 e PADG_08285 - Gene ID: 22586608. Dessa forma, o objetivo do presente projeto será identificar a expressão desses dois genes (PADG_11161 e PADG_08285) nas espécies P. brasiliensis (S1), P. americana (PS2), P. restrepiensis (PS3), e P. venezuelensis (PS4).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)