Busca avançada
Ano de início
Entree

Clonagem, Expressão de Aspártico Peptidase de Rhizomucor miehei em Komagataella phaffii (Pichia pastoris):Purificação, Caracterização Bioquímica e Mapeamento dos Subsítios

Processo: 22/16552-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2023
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Bioquímica de Microorganismos
Pesquisador responsável:Hamilton Cabral
Beneficiário:Lucas Barros Ferracin
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Propriedades bioquímicas   Fungos filamentosos   Purificação   Enzimologia
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Aspártico peptidase | Caracterização Bioquímica | Fungos filamentosos | purificação | Rhizomucor miehei | Substrato Sintético | Enzimologia

Resumo

A perspectiva de utilização de enzimas microbianas em processos industriais tem aumentado consideravelmente no século 21. Esta tendência de aplicação de enzimas, aumenta à medida que as novas enzimas são descobertas e apresentam potencial significativo para atender as necessidades dos setores industriais. O mercado de enzimas deverá atingir o valor de US$ 14,7 bilhões em 2025, registrando uma taxa de crescimento anual composta de 6,7 em termos de valores. Peptidases microbianas constituem o principal grupo de enzimas usadas industrialmente, responsável por cerca de 2/3 do total de enzimas comercializados. O estudo de peptidase fúngica é um tema relevante a nível mundial, pois envolvem estudos fisiológicos que auxiliam no entendimento de como alguns fungos patogênicos interagem com os hospedeiros, no campo da biotecnologia, com o emprego de enzimas de fungos filamentosos em diversos setores industriais. Atualmente as enzimas fúngicas são as mais utilizadas, por exemplo, na indústria de alimentos, farmacêutica, biocombustíveis entre outras. A importância na determinação da especificidade de peptidases, ou seja, o mapeamento dos subsítios auxilia no desenho racional de inibidores, possibilita a determinação da clivagem em proteínas e na obtenção de peptídeos com atividade biológica. O presente projeto tem por objetivo realizar a clonagem do gene que codificam a aspártico peptidase do fungo filamentoso Rhizomucor miehei no sistema de expressão em Komagataella phaffii, realizar a da caracterização bioquímica e o mapeamento dos subsítios. Desta maneira, será possível verificar uma possível aplicação para a aspártico peptidase, após a avaliação dos resultados obtidos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)