Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil da emissão de compostos orgânicos voláteis biogênicos (COVB) e principais respostas metabolômicas a poluentes atmosféricos em dois remanescentes de Mata Atlântica em SP, Brasil

Processo: 22/07326-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2023
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Silvia Ribeiro de Souza
Beneficiário:Fernanda Anselmo Moreira
Instituição Sede: Instituto de Pesquisas Ambientais (IPA). Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:20/07141-2 - Emissões biogênicas, química e impactos na Região Metropolitana de São Paulo: BIOMASP+, AP.TEM
Assunto(s):Mata Atlântica   Metabólitos secundários   Ecologia de interações
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:compostos orgânicos voláteis biogênicos (COVB) | Floresta Atlântica | Metabólitos primários | metabólitos secundários | respostas à poluição do ar | Ecologia de interações

Resumo

Os remanescentes florestais presentes nas megacidades muitas vezes precisam lidar com poluentes do ar. Esse estresse abiótico pode desencadear diferentes respostas de defesa da planta, como a produção de metabólitos primários e secundários e compostos orgânicos voláteis biogênicos (COVB). Essas defesas químicas compartilham alguns precursores para sua biossíntese, o que pode levar a um trade-off entre as defesas. Os COVBs também são relevantes do ponto de vista da química atmosférica, principalmente nos grandes centros urbanos, pois os COVBs emitidos pelas plantas podem reagir com poluentes do ar, piorando a qualidade do ar. A Região Metropolitana de São Paulo (MASP) é uma excelente oportunidade para estudar como plantas nativas da Mata Atlântica respondem a esse estresse abiótico e entender como COVBs emitidos por representantes desse bioma contribuem para a química atmosférica. Assim, o objetivo deste projeto é avaliar a emissão de COVB e a produção de biomarcadores de estresse urbano (metabólitos primários e substâncias fenólicas) em plantas nativas da Mata Atlântica localizadas em duas reservas florestais do MASP (dentro e fora do MASP), comparando regiões com diferentes níveis de influências de poluição atmosférica. Esta proposta faz parte do projeto bilateral BIOMASP+, uma parceria franco-brasileira, que visa avaliar o impacto das interações biosfera-atmosfera na poluição urbana gasosa e particulada em um clima em mudança. A partir da combinação da expertise em respostas de defesa de plantas a poluentes atmosféricos de diferentes pesquisadores envolvidos nesta proposta, espera-se contribuir para aumentar o conhecimento sobre as respostas de plantas a poluentes atmosféricos, determinar a influência desses poluentes na composição e níveis de COVB emitidos por plantas nativas da Mata Atlântica - bioma pouco estudado quimicamente -, além de contribuir para o desenvolvimento do projeto BIOMASP+. Para tanto, diferentes técnicas de alta resolução para análise e identificação de substâncias do metabolismo vegetal serão utilizadas a fim de responder algumas das principais questões desta proposta: Qual é o perfil e concentração de COVBs e de metabólitos primários e secundários produzidos pelas espécies vegetais mais abundante da Mata Atlântica nos dois remanescentes? Existem diferenças no padrão de resposta de defesa nas duas regiões estudadas? A sazonalidade influencia da mesma forma as respostas químicas das plantas em ambas as áreas? Poderia haver um trade-off entre a produção de defesas voláteis (COVB) e não voláteis (metabólitos secundários)?

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)