Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos dos canabidiol sobre a hiperatividade da amígdala basolateral e prejuízos na conectividade corticoamigdalar no modelo MAM de esquizofrenia

Processo: 22/15718-3
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 03 de maio de 2023
Vigência (Término): 02 de maio de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Francisco Silveira Guimaraes
Beneficiário:Debora dos Santos Fabris
Supervisor: Anthony Albert Grace
Instituição Sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Pittsburgh (Pitt), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:19/24591-4 - Mecanismos dos efeitos antipsicóticos do canabidiol em modelo de esquizofrenia baseado em alteração no neurodesenvolvimento, BP.DR
Assunto(s):Complexo nuclear basolateral da amígdala   Canabidiol   Esquizofrenia   Modelos animais
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Canabidiol | esquizofrenia | modelos animais | Farmacologia

Resumo

A esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico do desenvolvimento incapacitante que envolve alterações na conectividade entre várias regiões do cérebro. O córtex pré-frontal medial (CPFm) e a amígdala têm conexões recíprocas que controlam suas atividades. Uma desregulação na conectividade entre essas áreas do cérebro é proposta para desempenhar um papel na fisiopatologia da SCZ. Anormalidades nos processos de neurodesenvolvimento durante o início da vida podem afetar a função cerebral, resultando em psicose mais tarde na vida, principalmente durante o final da adolescência/início da idade adulta. A administração do agente alquilante do DNA acetato de metilazoximetanol (MAM) no dia gestacional (DG) 17 produz na prole várias alterações cerebrais comportamentais, fisiológicas e anatômicas que se assemelham às observadas na esquizofrenia e tem sido usada como modelo para estudar isso transtorno. Animais tratados com MAM apresentam disfunção GABAérgica no mPFC e hiperatividade da amígdala basolateral (ABL), modificando a conectividade entre essas duas estruturas. Uma disfunção no CPFm pode levar à hiperatividade da ABL, que tem sido associada a déficits de circuito subjacentes aos sintomas da esquizofrenia. Acredita-se que alterações no PFCm e ABL surjam antes do surgimento de sintomas psicóticos na esquizofrenia. Portanto, intervenções que possam atenuar os déficits na conectividade corticoamigdalar podem prevenir o surgimento de um estado semelhante à esquizofrenia. Descobertas de nosso Ph.D. estudos indicaram que o canabidiol (CBD) administrado a animais MAM adolescentes preveniu o surgimento de déficits cognitivos e o aumento da atividade dos neurônios dopaminérgicos na área tegmental ventral, que estão associados a sintomas psicóticos em indivíduos com esquizofrenia. Pretendemos investigar, usando registros eletrofisiológicos in vivo, se os efeitos preventivos do CBD no modelo MAM poderiam envolver a atenuação dos déficits observados na conectividade corticoamigdalar e aumento da atividade do ABL. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)