Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos químicos e mecânicos da incorporação de nanopartículas de seda do Bombyx mori em resina acrílica termopolimerizável

Processo: 22/15651-6
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2023
Vigência (Término): 31 de maio de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Rodrigo Galo
Beneficiário:Igor Majuste Alves Ambrosio
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Próteses e implantes
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Bombyx mori | fibroína da seda | polimetilmetacrilato | Prótese

Resumo

O material ideal para base de próteses dentárias deve ser biocompátivel com os tecidos orais, apresentar excelente estética, resistência à flexão e dureza, resistência ao impacto, e boas propriedades mecânicas. Assim, o polimetilmetacrilato (PMMA) é o polímero mais empregado na confecção de bases protéticas devido à sua facilidade de processamento e capacidade de reparo, leveza, baixo custo, baixa sorção de água e solubilidade, além de apresentar boas propriedades estéticas. A fibroína da seda (FS) é um biomaterial produzido pelo bicho-da-seda (Bombyx mori) e é utilizada pela indústria têxtil há muitos anos. É um polímero bastante utilizado em pesquisas em aplicações biomédicas e biotecnológicas, por apresentar alta resistência e tenacidade mecânica, alta biocompatibilidade, flexibilidade de processamento, resistência a substâncias químicas e a micro-organismos, além da capacidade de resistir à quebra enzimática e alta resistência à umidade. Esse biomaterial vem sendo aplicado em suturas cirúrgicas, scaffolds para regeneração de tecidos em substratos de cultura de células e substratos de administração de drogas. Diante disso, o objetivo desse estudo será incorporar a FS à resina acrílica termopolimerizável, a fim de verificar a associação com possíveis efeitos químicos e mecânicos. Trinta corpos de prova retangulares, com dimensões de 64,0 mm de comprimento, 10,0 mm de largura e 3,0 mm de espessura serão preparados e divididos em três grupos (N=30): G1 (controle) - PMMA termopolimerizável sem reforço; G2: PMMA termopolimerizável com adição de 0,5% de nanopartículas de seda; G3: PMMA termopolimerizável com adição de 1% de nanopartículas de seda. Os grupos serão submetidos a testes de rugosidade superficial, resistência flexural e microdureza.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)