Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização funcional de mutações em canais de sódio associadas a epilepsia.

Processo: 23/08579-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de agosto de 2023
Vigência (Término): 30 de junho de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Iscia Teresinha Lopes Cendes
Beneficiário:Demetrio Saul Lindo Samanamud
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07559-3 - Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia - BRAINN, AP.CEPID
Assunto(s):Neurociências
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Encefalopatia epilética e do desenvolvimento | Epilepsias | Estudos funcionais | gene SCN1A | Mutações de novo | Nav1 | 1 | Neurosciências

Resumo

A síndrome de Dravet (SD) é uma encefalopatia epilética e do desenvolvimento (EDE) caracterizada por mutações de novo no gene SCN1A, que codifica a subunidade ± do canal de sódio dependente de voltagem (Nav1.1). Este canal desempenha um papel fundamental no transporte de iões de sódio nos neurónios. As mutações no SCN1A alteram o fluxo de iões de sódio, o que pode levar à hiperexcitabilidade neuronal e à epilepsia. Embora tenham sido identificadas mais de 2.000 variantes no gene SCN1A com possível efeito patogénico no Nav1.1, é difícil prever o fenótipo com base num tipo específico de variante devido à variabilidade dos resultados clínicos observados. Para responder a este desafio no diagnóstico genético da SD, são necessários estudos funcionais que avaliem a função do gene Nav1.1. O nosso grupo tem investigado algumas variantes associadas à SD, verificando que estas variantes geram uma perda de função no gene Nav1.1, confirmando a sua patogenicidade. Neste contexto, o nosso principal objetivo é estabelecer um sistema de expressão heteróloga transiente na linha celular HEK para analisar a expressão das proteínas mutantes Nav1.1. Utilizando a técnica de Western blot, pretendemos quantificar a presença de Nav1.1 na superfície celular. Esperamos que os nossos resultados contribuam para a quantificação do Nav1.1 na superfície celular e, posteriormente, para a construção de um sistema de expressão nas linhas celulares TSA-201 ou HEK-293T. Estes modelos celulares são adequados para compreender o impacto funcional das variantes patogénicas dos mutantes Nav1.1. Com este estudo, pretendemos melhorar a compreensão dos mecanismos moleculares subjacentes à SD, o que poderá ter implicações importantes para o diagnóstico e tratamento desta doença.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)