Busca avançada
Ano de início
Entree

Modificando para adaptar: o impacto das lisina desacetilases na diferenciação do parasito Leishmania

Processo: 23/07783-2
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 05 de junho de 2024
Vigência (Término): 04 de junho de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Nilmar Silvio Moretti
Beneficiário:Suellen Rodrigues Maran
Supervisor: Igor dos Santos Cestari
Instituição Sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: McGill University, MacDonald, Canadá  
Vinculado à bolsa:21/13477-6 - DeaceLeish: investigando o papel das lisinas desacetilases nos mecanismos de regulação da diferenciação dos estágios evolutivos de Leishmania mexicana, BP.DR
Assunto(s):Biologia molecular   Repetições palindrômicas curtas agrupadas e regularmente espaçadas   Leishmania   Leishmaniose   Acetilação   Lisina
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Crispr | leishmania | mutants | Ysd | Biologia Molecular

Resumo

A Leishmania é o agente etiológico da Leishmaniose, uma doença infecciosa grave, que pode se manifestar de três formas principais: cutânea, mucocutânea e visceral. Durante seu ciclo de vida, o parasito enfrenta diferentes ambientes e a adaptação a essas condições altera a expressão gênica, a tradução e o metabolismo. A acetilação de proteínas é regulada por duas famílias de enzimas, lisina acetiltransferases (KATs), que adicionam grupos acetil no resíduo de lisina, e lisina desacetilases (KDACs), que removem esses grupos. As KDACs são divididas em duas famílias: NAD+dependente (sirtuínas) e zinco-dependente (DACs). Análise proteômica de nosso grupo revelou acetilação diferencial de proteínas entre os três principais estágios de Leishmania mexicana (procíclico, metacíclico e amastigota), sugerindo um papel central dessa modificação durante a diferenciação do parasito. Para entender melhor a função da acetilação de proteínas neste processo, decidimos caracterizar as DACs (DAC1, 3, 4 e 5) de L. mexicana. Os dados preliminares de nosso grupo aqui apresentados demonstram que as DACs afetam vários aspectos da diferenciação do parasito e a investigação dos possíveis mecanismos regulados por essas enzimas contribuirá significativamente para o entendimento da biologia de Leishmania. Assim, nesta proposta de BEPE, em colaboração com o Dr. Igor Cestari da McGill University, empregaremos duas abordagens de ponta, Yeast Surface Display e CHIP-seq, para investigar os parceiros das DACs e como DAC3 e 4 podem afetar a estrutura da cromatina e expressão gênica em Leishmania. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)