Busca avançada
Ano de início
Entree

Abordagem da complexidade econômica para o desenvolvimento sustentável: estrutura produtiva, desigualdade de renda e emissões de gases de efeito estufa

Processo: 23/13762-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de agosto de 2024
Vigência (Término): 31 de julho de 2025
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Crescimento, Flutuações e Planejamento Econômico
Pesquisador responsável:Carolina Troncoso Baltar
Beneficiário:Carolina Troncoso Baltar
Pesquisador Anfitrião: Gary Arthur Dymski
Instituição Sede: Instituto de Economia (IE). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Leeds, Inglaterra  
Assunto(s):Desenvolvimento sustentável   Distribuição de renda   Emissões   Crescimento econômico
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Complexidade Econômica | Desenvolvimento Sustentável | distribuição de renda | Emissões | Estrutura produtiva | Crescimento Econômico

Resumo

Na literatura de desenvolvimento, o crescimento econômico e a distribuição de renda estão intimamente ligados à estrutura produtiva, que determina os bens produzidos, as oportunidades ocupacionais e o processo de aprendizado e poder de barganha dos trabalhadores. Compreender a estrutura produtiva é também crucial ao considerar as mudanças climáticas, porque a transição para uma economia que produz produtos "verdes" usando energia renovável requer uma completa reformulação desta estrutura, alterando os padrões de emissões. As intrincadas conexões dentro da estrutura produtiva significam que todos os países, não apenas economias em desenvolvimento, enfrentam esse desafio transformacional. Este trabalho desenvolve uma nova abordagem que caracteriza a complexidade da estrutura produtiva a nível setorial para avaliar seus impactos sistêmicos no desempenho econômico, social e ambiental. A literatura sobre complexidade econômica utiliza a complexidade a nível de produtos para avaliar a estrutura produtiva e relacioná-la ao crescimento econômico de longo prazo. Esta abordagem avança o que foi desenvolvido ao 1) criar um método para quantificar a complexidade setorial e sua relação com as emissões de gases de efeito estufa, 2) avaliar como o padrão de crescimento econômico afeta a complexidade setorial e as emissões de gases de efeito estufa e 3) examinar o impacto da complexidade setorial e das emissões de gases de efeito estufa na distribuição de renda, levando em consideração diferenças de gênero e regionais. Portanto, esta abordagem é uma ferramenta analítica vital para o desenvolvimento sustentável, capacitando pesquisadores e formuladores de políticas a melhorar as dimensões sociais, econômicas e ambientais de um país.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)