Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa de isolados do sorotipo O3:H obtidos de diferentes sítios de infecção e avaliação da contribuição da AAF/I na infecção de células uroteliais

Processo: 23/10536-7
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2023
Vigência (Término): 30 de abril de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Rodrigo Tavanelli Hernandes
Beneficiário:Bruna Mendes Luiz
Instituição Sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/14821-7 - Explorando novas estratégias de virulência em Escherichia coli, AP.TEM
Assunto(s):Escherichia coli   Híbridos   Virulência   Patogenicidade bacteriana
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Eaec | Escherichia coli | Híbridos | Upec | Virulência | Patogenicidade Bacteriana

Resumo

Os isolados de Escherichia coli patogênicos podem levar a infecções intestinais, causadas por E. coli diarreiogênicas (ECD), ou fora do trato gastrointestinal, causadas por E. coli patogênicas extra intestinais (ExPEC). Entre os patotipos de ECD, a E. coli enteroagregativa (EAEC), é frequentemente isolada de casos de diarreia aguda e persistente em crianças e adultos no Brasil. EAEC é caracterizada pela adesão de seus isolados a células HeLa ou HEp-2 em um padrão semelhante a "tijolos empilhados", denominado padrão de aderência agregativa (AA). Este padrão está associado a presença das fímbrias de aderência agregativa (AAFs), sendo atualmente conhecidas cinco variantes distintas (AAF/I-AAF/V). Já fora do trato gastrointestinal, a E. coli uropatogênica (UPEC) é um dos principais agentes responsáveis pela incidência de infecções do trato urinário (ITUs), sendo responsável por até 95% dos casos. Isolados de EAEC obtidos de ITU têm sido atualmente reportados como híbridos de UPEC/EAEC. Em um recente trabalho do nosso grupo, foram detectados em quatro isolados obtidos de pacientes com ITUs, marcadores de EAEC como os genes aggR e aatA, sendo um destes isolados pertencente ao sorotipo O3:H2, sorotipo este que vem sendo frequentemente isolado de amostras de fezes de crianças com e sem diarreia. É de grande importância a investigação destes híbridos, procurando entender suas origens, quais genes de virulência estão presentes, e como esses genes podem contribuir para o sucesso das ITUs. O objetivo deste projeto é realizar uma análise genômica comparativa do isolado híbrido UPEC-34 do sorotipo O3:H2, obtido de ITU, com isolados de E. coli do mesmo sorotipo, com marcadores de EAEC obtidos de crianças, com ou sem diarreia. Além disto, a UPEC- 34 irá passar por ensaios de mutagênese e complementação do operon aggDCBA, com o objetivo de analisar a influência da AAF/I na adesão a linhagem celular urotelial 5637 e produção de biofilme. Ademais, outras regiões genômicas que se mostrarem associadas a aderência e diferencialmente detectadas em isolados do sorotipo O3:H2 obtidos dos diferentes sítios do hospedeiro poderão ser incluídos na presente análise. É esperado compreender as características de isolados de EAEC obtidos de ITU, bem como avaliar o papel de AAF/I, e outras possíveis estruturas relacionadas a infecção do trato urinário.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)