Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro e in situ da eficácia de géis clareadores contendo peróxido de hidrogênio associado ao Biosilicato® cristalino dopado com Óxido de Manganês e ativado com luz violeta

Processo: 23/03511-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2023
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Vanessa Cavalli Gobbo
Beneficiário:Rafael Dascanio
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Clareamento   Dentística
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Biovidro 45S5 | clareamento | Luz Violeta | Óxido e Manganês | Dentística

Resumo

Apesar da eficácia de clareamento em dentes vitais com 35% H2O2 , estudos apontam diminuição no conteúdo mineral e alteração da morfologia de superfície do esmalte, além de citotoxicidade em células odontoblásticas. Para reverter tais efeitos, este projeto tem como objetivo o desenvolvimento e análise de clareadores de baixa concentração, contendo Biovidro 45S5® (BV) dopado com óxido de manganês (MnO2) e associado à luz violeta (LED). Na fase 1 do estudo, o BV será dopado com óxido de manganês (MnO_BV) pela rota tradicional de fusão dos óxidos. Será realizada a análise fotocatalítica do composto em espectrofotômetro de absorção de luz. Na fase 2, blocos de esmalte pigmentados serão tratados com: 35% H2O2 (controle positivo), 6% H2O2 associado a um gel experimental contendo BV ou MnO_BV (0 e 10 wt%), e associados ou não à luz LED violeta (405 - 410 nm). O controle negativo serão blocos de esmalte sem tratamento, imersos em saliva artificial durante o experimento. O clareamento será realizado em 3 sessões de 30 min cada, e intervalos de 7 dias. Os blocos serão avaliados quanto (n=10): alteração de cor (”E), índice de clareamento (”WID), parâmetros de cor (L*, a*, b*) em espectrofotômetro digital, conteúdo mineral [microdureza de superfície (KHN) e avaliação de bandas (CO2-3) e fosfato (PO4-2) em espectroscopia no infravermelho com transformada de Fourier (FTIR)], antes e após os tratamentos, e análise da morfologia de superfície [microscopia eletrônica de varredura (MEV)] ao final do clareamento. Na fase 3 os blocos serão avaliados quanto à citotoxicidade em células da linhagem odontoblástica (teste MTT, análise de estresse oxidativo, quantificação de PH nos extratos, produção de radicais livres, morfologia celular e fluorescência live/dead). Na fase 4, análise in situ duplo cego, dos tratamentos. Dispositivos palatinos contendo blocos de esmalte esterilizados, serão utilizados por 12 voluntários, por 14 dias. Os dispositivos permanecerão em ambiente oral e serão removidos para o tratamento clareador em consultório. O clareamento será realizado em três sessões de 30 min no 1º,7º e 14º dias de tratamento. As avaliações de cor (”E, ”WID, L*, a*, b*) serão realizadas 24h após cada sessão. O conteúdo mineral (KHN) será determinado antes e após os tratamentos e a morfologia de superfície (MEV) será determinada após os tratamentos. Os dados serão submetidos à análise estatística e de acordo com a normalidade, testes adequados serão realizados (± = 5%).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)