Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos ecotoxicológicos combinados de produtos farmacêuticos e microplásticos de plásticos compostáveis/biodegradáveis

Processo: 24/00407-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2024
Vigência (Término): 30 de junho de 2025
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Ítalo Braga de Castro
Beneficiário:Beatriz Barbosa Moreno
Supervisor: Cristiano Venicius de Matos Araujo
Instituição Sede: Instituto do Mar (IMar). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Local de pesquisa: Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC), Espanha  
Vinculado à bolsa:21/14639-0 - Avaliação de falsas alegações, degradação e toxicidade de plásticos biodegradáveis comercializados no Brasil, BP.DR
Assunto(s):Ecotoxicologia
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Biodegradable plastic | Compostable plastic | Ecotoxicological effects | fluoxetine | Microplastic | Ecotoxicologia

Resumo

O ambiente aquático enfrenta desafios crescentes devido à introdução de diversos poluentes, os resíduos farmacêuticos como os antidepressivos e microplásticos, representando ameaças significativas à vida aquática. Dentre esses poluentes, destaca-se a fluoxetina (FLU), antidepressivo amplamente prescrito, conhecida por sua prevalência e natureza hidrofóbica, podendo levar à adsorção em matrizes como sedimentos e fragmentos plásticos. Os microplásticos (MPs), especialmente os menores que 5 mm, permeiam de forma onipresente os ambientes aquáticos, tornando-se vetores de vários poluentes e representando ameaças diretas ou indiretas à biota aquática. Os esforços para mitigar a poluição plástica levaram ao desenvolvimento de polímeros biodegradáveis e compostáveis que procuram reduzir a persistência ambiental. No entanto, tais materiais alternativos também podem originar microplásticos (BCMPs) capazes de transportar poluentes, e a sua interação com organismos permanece pouco estudada em comparação com os MPs tradicionais. Estudos recentes demonstraram a adsorção da FLU em vários MPs envelhecidos, levantando preocupações sobre os potenciais impactos ecológicos destas interações. Avaliações ecotoxicológicas, utilizando modelos como Daphnia magna em água doce e Palaemon varians em ambientes de água salgada, tornam-se cruciais para compreender de forma abrangente os impactos dos BCMPs contaminados com FLU e dos MPs tradicionais sobre estes organismos. Os efeitos agudos e crónicos, especialmente na neurotoxicidade e no comportamento reprodutivo, requerem uma avaliação cuidadosa nestas avaliações. A avaliação inclui métodos de exposição não forçada, como o teste de evitação utilizando o sistema heterogêneo de ensaio multi-habitat (HeMHAS), projetado para simular cenários reais e avaliar riscos ecológicos. As respostas bioquímicas, principalmente as alterações nas enzimas acetilcolinesterásicas, permitem avaliar a neurotoxicidade induzida por contaminantes nesses organismos. Este estudo tem como objetivo avaliar os impactos ecotoxicológicos de BCMPs e MPs tradicionais contaminados com FLU em organismos de água doce e salgada. Procura discernir os efeitos adversos e potenciais diferenças nas respostas entre os BCMPs e os MPs tradicionais, lançando luz sobre os riscos ecológicos colocados por estes poluentes emergentes nos ecossistemas aquáticos. Além disso, a proposta contribuirá para a transferência de tecnologia relevante utilizada na avaliação da qualidade ambiental para o Brasil por meio da formação de doutorado.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)