Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da Epigalocatequina-3-galato, derivada do chá verde, nas metaloproteinases de matriz 2 e 9 em Dentina Radicular

Processo: 24/00691-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2024
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Andiara de Rossi
Beneficiário:Gabrielly Aparecida Damásio
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Dentina   Epigalocatequina-3-galato   Metaloproteinases da matriz
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Dentina Radicular | epigalocatequina-3-galato | metaloproteinases de matriz | Dentina Radicular

Resumo

As metaloproteinases de matriz (MMP's) fazem parte de uma família de proteinases relacionadas com a função e estrutura dos tecidos por agirem na degradação de componentes proteicos da matriz extracelular (ECM). As MMPs são cruciais para o desenvolvimento normal da dentina e sua atividade é mantida durante toda a função dentária na cavidade bucal. Por serem cálcio dependentes, as MMP-2 e MMP-9 também estão presentes na dentina coronal e na dentina radicular de dentes humanos, mesmo que possam ter diferenças na quantidade de cada enzima. Assim, durante o tratamento endodôntico, o uso de medicações que promovam a inibição de MMPs deve ser considerado. O chá verde é composto por flavonóides que são as catequinas, e dentro desse grupo estão incluídas: epigalocatequina galato (EGCG), epicatequina galato (ECG), epigalocatequina (EGC) e epicatequina (EC), sendo a presença da epigalocatequina-3-galato uma das principais responsáveis por seus efeitos biológicos benéficos antiinflamatórios, antioxidantes e mineralizadores. A EGCG vem sendo proposta na prevenção e tratamento de doenças que resultam nas reabsorções de tecidos mineralizados e em função da sua biocompatibilidade, ela foi sugerida como meio de conservação de dentes avulsionados após traumatismos por preservar a vitalidade das células do ligamento periodontal. A EGCG apresenta eficácia antimicrobiana contra grande parte de micro-organismos periodontopatogênicos, e contra grande parte das espécies isoladas do canal radicular. Uma pasta à base de EGCG, desenvolvida e patenteada para uso como curativo de demora endodôntico proporcionou reparo de lesões periapicais semelhante ao da pasta à base de hidróxido cálcio, reduzindo a expressão de MMPs 2 e 9 nos tecidos periapicais, favorecendo o reparo de lesões, logo a utilização dessa pasta base como curativo de demora na terapia endodôntica, poderia atuar na redução das MMPs presentes na dentina de dentes tratados endodonticamente, sendo a hipótese desse trabalho.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)